Venezuela denuncia espionagem da Colômbia

A Venezuela apresentou uma denúncia acusando a agência de segurança da Colômbia de espionar em seu território, no mais recente disparo numa troca de tiros diplomática entre os dois vizinhos andinos.

REUTERS

27 de outubro de 2009 | 09h19

A Venezuela não deu detalhes sobre como a agência de segurança de Bogotá estava espionando, mas a acusação foi feita depois que as relações entre os dois países pioraram ainda mais com o assassinato de 10 membros de uma equipe de futebol amadora da Colômbia na fronteira com a Venezuela.

Os laços já estavam desgastados desde o começo deste ano, quando o presidente venezuelano, Hugo Chávez, suspendeu as relações com Bogotá e reduziu o comércio bilateral em represália ao plano da Colômbia de permitir que tropas norte-americanas tivessem mais acesso a suas bases militares.

"A Venezuela exige que a Colômbia suspenda todas as atividades dos agentes do Departamento de Segurança Administrativa (DAS) dentro da Venezuela", disse o Ministério das Relações Exteriores em um comunicado, na segunda-feira, que acusava a agência de se engajar "em conspiração e plano para desestabilizar" o país.

Bogotá e Caracas costumam se desentender sobre o conflito guerrilheiro colombiano e o tráfico de cocaína na fronteira, mas seu comércio anual de 7 bilhões de dólares costuma ser interrompido apenas temporariamente.

Chávez, um crítico persistente dos EUA, diz acreditar que as bases colombianas podem ser usadas pelos norte-americano para lançar um ataque contra seu país. O presidente da Colômbia, Álvaro Uribe, alega que o acordo é uma extensão da cooperação já existente com os EUA para conter a insurgência e o narcotráfico.

Autoridades venezuelanas já atacaram a DAS no passado. Em setembro, o ministro do Interior do país acusou a agência de traficar cocaína da Colômbia.

A Colômbia disse no mês passado que iria desmantelar a DAS, que está no centro de uma série de escândalos sobre grampos ilegais dos opositores de Uribe, de jornalistas e juízes.

Ex-funcionários da DAS também estão sendo investigados sob acusações de que forneceram detalhes de lideres sindicalistas e de ativistas de direitos humanos aos esquadrões de morte paramilitares.

(Reportagem de Patrick Markey)

Tudo o que sabemos sobre:
VENEZUELAESPIAOCOLOMBIA*

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.