David Fernandez/Efe
David Fernandez/Efe

Venezuela deporta dois narcotraficantes aos Estados Unidos

Colombiano líder de cartel e dominicano eram procurados por tráfico de drogas pela Justiça americana

AP,

20 de setembro de 2010 | 17h47

CARACAS- A Venezuela deportou aos Estados Unidos nesta segunda-feira, 20, um homem apontado como chefe do cartel de drogas Norte del Valle, da Colômbia, e um dominicano procurados pela Interpol por narcotráfico.

 

O ministro de Relações Exteriores, Tareck El Aissami, anunciou a deportação do colombiano Jaime Alberto Marín, conhecido como ``Beto Marín'', de 48 anos, por quem os Estados Unidos ofereciam uma recompensa de US$ 5 milhões.

 

Aissami também informou sobre a deportação do dominicano Omar Guzmán Martínez, de 38 anos, preso em Caracas em 25 de agosto. Ele era procurado desde 2008 por um tribunal americano pelo crime de tráfico de cocaína por mar da América do Sul até os EUA.

 

Marín foi capturado em 16 de setembro na Ilha de Margarita por integrantes do Serviço Nacional Antidrogas (ONA, na sigla em espanhol) e da Guarda Nacional. A polícia suspeita de que ele estava escondido na Venezuela desde 2008.

 

O preso era procurado pela Justiça americana desde janeiro de 2007 pelos crimes de tráfico de drogas, legitimação de capitais provenientes do narcotráfico e associação criminosa.

 

O chanceler venezuelano disse que como parte da operação para capturar Marín, foram detidas em Caracas e no estado de Nueva Esparta outras cinco pessoas, das quais quatro são colombianas, e foram apreendidas vários bens avaliados em US$ 50 milhões.

 

Marín assumiu a liderança do cartel do Norte do Valle após o assassinato do narcotraficante Wilber Varela, conhecido como "Jabón", encontrado morto com várias marcas de bala em um centro turístico venezuelano em janeiro de 2008.

 

As autoridades colombianas capturaram e deportaram em julho passado o colombiano Carlos Rentería, que também era chefe do cartel.

 

Aissami aproveitou a deportação dos dois suspeitos para refutar o relatório divulgado na semana passada pela Casa Branca que questiona os compromissos internacionais da Venezuela para combater o narcotráfico.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.