Venezuela diz que continuará enviando gasolina ao Irã

A Venezuela continuará a enviar gasolina ao Irã apesar das sanções impostas à República Islâmica pelos Estados Unidos e pela União Europeia, disse nesta quarta-feira o embaixador de Caracas em Teerã.

REUTERS

18 de agosto de 2010 | 17h47

Uma série de sanções acertadas desde junho devido ao polêmico programa nuclear iraniano atingem o setor petroleiro e industrial.

O Irã é o quinto maior exportador de petróleo do mundo, mas importa cerca de 40 por cento da gasolina consumida internamente devido à falta de capacidade de refino.

"Estamos à serviço do Irã e sempre que o Irã precisar nós iremos abastecê-lo com gasolina", disse o embaixador venezuelano, David Velásquez, à agência semi-oficial iraniana Fars, segundo nota da agência estatal venezuelana AVN.

O governo do presidente venezuelano, Hugo Chávez, diz enviar cerca de 20.000 barris de gasolina por dia ao Irã.

As novas sanções deram luz aos importantes e crescentes laços entre Teerã e Caracas, mas analistas dizem que há poucas chances de a Venezuela aumentar suas exportações de petróleo para atender às necessidades do Irã.

A estatal petroleira venezuelana PDVSA tem sofrido uma série de interrupções em sua rede de refino desde o ano passado e tem sido forçada a importar derivados de petróleo, apesar de estar localizada em uma das maiores reservas de petróleo do mundo.

(Reportagem de Marianna Parraga)

Tudo o que sabemos sobre:
VENEZUELAIRAGASOLINA*

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.