Venezuela diz que EUA tentam espalhar violência na A.Latina

O chanceler da Venezuela, NicolásMaduro, disse nesta terça-feira que os Estados Unidos queremespalhar a violência na América Latina ao enfrentar os países.Maduro contrariou as declarações do subsecretário de Estadonorte-americano sobre as Farc buscarem refúgio em territóriovenezuelano. Maduro também acusou Washington de estar por trás deprocessos que vinculam o governo do presidente venezuelano,Hugo Chávez, com a guerrilha das Forças Armadas Revolucionáriasda Colômbia (Farc). O chanceler reagiu a declarações feitas na segunda-feirapelo sub-secretário dos EUA, John Negroponte, de que não temdúvidas de que as Farc buscaram refúgio em territóriovenezuelano. "Por trás das acusações irresponsáveis e abusivas de JohnNegroponte de que a Venezuela acolhe as Farc há uma operaçãopolítica para mostrar um processo contra o presidente legítimoda República Bolivariana da Venezuela e nós queremosdenunciá-lo desta maneira", disse Maduro. As declarações do ministro venezuelano aconteceram durantea realização da Assembléia Geral da Organização dos EstadosAmericanos (OEA) na cidade Medellín. As relações entre Colômbia e Venezuela continuam tensasdepois que Chávez apoiou o presidente do Equador, RafaelCorrea, na crise que estourou após militares colombianosadentrarem território equatoriano em uma operação noacampamento do líder das Farc Raúl Reyes, que foi morto noincidente. Nesta operação foram encontrados vários computadores, quesegundo as autoridades colombianas contêm arquivos com supostosvínculos do grupo guerrilheiro com os governos de Quito eCaracas. "Hoje há uma operação funcionando e queremos denunciá-la, oprincipal motor desta operação é o governo dos EUA, umaoperação para encher de violência a nossa região", acrescentouMaduro. (Reportagem de Nelson Bocanegra)

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.