Venezuela diz que volta de embaixador dos EUA deve demorar

A Venezuela ainda não está pronta para convidar de volta o embaixador dos Estados Unidos, expulso pelo presidente Hugo Chávez no último ano, apesar de esperanças de uma relação mais amigável com o novo governo do presidente norte-americano Barack Obama. Forte crítico à política externa dos Estados Unidos, Chávez já teve um duro começo com Obama, que convidou o líder venezuelano para superar os obstáculos. Chávez responde ao convite dizendo que Obama carrega o mesmo "mau cheiro" que seu antecessor, George W. Bush. Desde então, o presidente venezuelano tem suavizado o tom, dizendo que está esperançoso com Obama. No entanto, o ministro do Exterior venezuelano, Nicolas Maduro, disse na terça-feira que relações normais entre Washington e o seu principal fornecedor de petróleo terão de esperar. "Qualquer medida tomada para restabelecer o embaixador norte-americano na Venezuela provavelmente terá de esperar um tempo", disse ele em coletiva. Um incômodo para o seu principal consumidor de petróleo, Chávez expulsou o embaixador Patrick Duddy após acusar Washington de interferir na relação da Venezuela com a aliada Bolívia. O Estados Unidos também expulsaram o embaixador venezuelano de seu território pouco depois. (Reportagem de Frank Jack Daniel)

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.