Venezuela e Colômbia criam taxa de câmbio especial para recuperar comércio bilateral

REUTERS

02 de agosto de 2014 | 11h32

A Venezuela e a Colômbia concordaram na sexta-feira em criar uma taxa de câmbio especial para o comércio bilateral, que tem se mantido em níveis baixos nos últimos cinco anos, revelaram os presidentes dos dois países.

O tipo de câmbio, que será fixado pelo governo do presidente venezuelano, Nicolás Maduro, permitirá que cada parte realize transações comerciais com sua respectiva moeda, e os superávits que surgirem serão negociados com uma divisa internacional, que poderia ser o dólar norte-americano, afirmou o presidente venezuelano, Juan Manuel Santos.

“Estabelecemos um sistema, um mecanismo de pagamentos bilateral, para facilitar a parte financeira do comércio”, afirmou Santos, depois de um encontro com Maduro na cidade caribenha de Cartagena. 

O comércio entre os dois países caiu em mais de 70 por cento nos últimos cinco anos devido a disputas políticas entre os ex-presidentes da Venezuela Hugo Chávez e da Colômbia Alvaro Uribe, o que causou o desabastecimento venezuelano. 

“A partir do pagamento em moeda local, em moeda nacional e estabelecer um sistema de compensação dos superávits comerciais e a convertibilidade de alguma moeda internacional de reconhecimento por ambos os governos e bancos centrais”, afirmou Maduro.    Os presidentes também concordaram com um trabalho conjunto para combater o contrabando na extensa fronteira entre os dois países.    (Reportagem de Nelson Bocanegra)

Tudo o que sabemos sobre:
COLOMBIAVENEZUELACAMBIO*

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.