Arquivo/AP
Arquivo/AP

Venezuela é um dos países que apoia terrorismo, diz senador americano

Segundo George LeMieux, governo venezuelano tem relações com o Irã e apoia guerrilha da Colômbia

Efe,

08 de junho de 2010 | 20h26

WASHINGTON- O senador republicano da Flórida, George LeMieux, pediu nesta terça-feira, 8, ao Departamento de Estado americano que preste mais atenção aos supostos vínculos da Venezuela com grupos terroristas, porque, do contrário, em anos isso poderia se converter em "um grande problema".

 

Do plenário do Senado, LeMieux alertou sobre as ligações venezuelanas com organizações e Estados que, segundo o governo de Washington, apoiam o terrorismo, e pediu uma maior atenção às relações do presidente Hugo Chávez com seu colega iraniano, Mahmoud Ahmadinejad.

 

"Pequenos problemas se convertem em grandes problemas. O Departamento de Estado precisa reconhecer o que está acontecendo na Venezuela devido aos vínculos existentes entre Chávez e Ahmadinejad", disse LeMieux.

 

"O Irã pode ser o maior patrocinador do terrorismo agora, mas em três ou cinco anos, se não fizermos nada para impedi-lo, a Venezuela poderia ser um problema igual, inclusive maior, tomando em conta sua proximidade a nossas costas", advertiu o senador.

 

Em 25 de maio, LeMieux e outros onze senadores enviaram uma carta à secretária de Estado, Hillary Clinton, e ao secretário de Estado adjunto para a América Latina, Arturo Valenzuela, na qual pediram que a Venezuela seja incluída na lista de países que patrocinam o terrorismo.

 

O escritório do senador insiste em que, a mando de Chávez, o governo venezuelano estabeleceu "uma crescente aliança" com países que, segundo os Estados Unidos, patrocinam o terrorismo, entre eles Irã e Cuba, além de ter dado apoio às Farc na Colômbia.

 

Desde 2006, o governo americano incluiu a Venezuela na lista de países que não cooperam plenamente com a luta antiterrorismo. Em 11 de maio, o Departamento de Estado notificou o Congresso de que esta determinação seria renovada para o ano fiscal de 2011.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.