Venezuela estatiza fábrica de fertilizantes

O governo venezuelano nacionalizou no domingo uma importante fábrica de fertilizantes ítalo-americana, dias depois de o presidente Hugo Chávez prometer radicalizar sua "revolução socialista."

FRANK JACK DANIEL, REUTERS

11 de outubro de 2010 | 09h09

A Fertinitro, que tem como sócios a norte-americana Koch e a empresa Saipem, subsidiária da italiana Eni, é uma das maiores fábricas de fertilizante de nitrogênio do mundo.

Também no domingo Chávez anunciou a nacionalização da fábrica local de lubrificantes Venoco, aprofundando as estatizações iniciadas desde a ascensão dele ao poder, 12 anos atrás.

"Expropriem-na" disse Chávez numa transmissão ao vivo pela TV, falando de uma fazenda adquirida pelo governo há dois anos. Ele disse então que o governo assumirá no dia 20 o controle de quase 200 mil hectares de terras pertencentes ao grupo britânico Vestey Foods. Há meses o governo negocia a aquisição de fazendas de pecuária da Vestey.

"É um acordo amigável, sou muito grato aos donos da companhia inglesa, que está aqui há mais de cem anos", disse ele durante a transmissão de seis horas.

Em 2005, o governo havia nacionalizado outras propriedades da Vestey, entregando as terras a centenas de pequenos agricultores.

O presidente disse também que enviou à Assembleia Nacional um projeto que autoriza a expropriação de terrenos urbanos ociosos e de obras habitacionais paralisadas.

(Reportagem de Eyuanir Chinea)

Tudo o que sabemos sobre:
VENEZUELACHAVEZNACIONALIZA*

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.