Venezuela expropria empresa de cimento mexicana

Negociações para Cemex vender seus ativos no país para o governo de Hugo Chávez fracassaram

19 de agosto de 2008 | 01h58

O governo da Venezuela expropriou com ajuda do exército na noite da última segunda-feira,18, a filial local da indústria de cimentos mexicana Cemex, depois do fracasso nas negociações para a nacionalização da empresa. O ministro da Energia, Rafael Ramirez, anunciou a expropriação em uma fábrica da companhia no Estado de Anzoátegui, no leste do país. Segundo ele, havia diferenças muito grandes que evitaram um acordo. Ramirez chegou à fábrica acompanhado de simpatizantes do governo do presidente Hugo Chávez, conforme mostraram imagens da rede de televisão estatal VTV. Outras fábricas de cimento, como a francesa Lafarge e a suíça Holcim chegaram a um acordo com Chávez para vender a maioria das ações de suas filiais na Venezuela, o que não aconteceu no caso da Cemex. De acordo com o vice-presidente Ramón Carrizalez, o impasse com os mexicanos aconteceu porque as duas partes não chegaram a um valor comum sobre os ativos da companhia. No mês passado, Chávez nacionalizou as filiais venezuelanas do banco Santander.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.