Venezuela exproriará empresas que não cumprirem a lei

Presidente Hugo Chávez anunciou também que continuará com nacionalizações para acabar com monopólios

Efe,

05 de agosto de 2009 | 12h32

O presidente da Venezuela, Hugo Chávez, alertou nesta quarta-feira, 5, que qualquer empresa privada ou setor que violar a lei está sob o risco de ser expropriado pelo governo.

 

"Qualquer empresa, qualquer setor que violar a lei será considerado para nacionalização", disse Chávez aos repórteres. O presidente venezuelano disse que companhias que seguirem as leis do país, que está em processo de conversão ao que ele chama de "Estado Socialista do Século 21" poderão operar normalmente na Venezuela.

 

Chávez também anunciou que seu governo continuará com as nacionalizações depois de assumir o controle temporário de duas empresas do ramo de café nesta segunda-feira e garantiu que "continuará apertando o acelerador da revolução".

 

O governante fez estas declarações durante a celebração do 72º aniversário da Guarda Nacional Bolivariana no bairro popular de Petare, no leste de Caracas.

 

"Não podemos permitir que monopólios continuem existindo, isso é proibido pela Constituição", afirmou Chávez em discurso transmitido de maneira obrigatória por rádio e televisão.

 

Na segunda-feira, o Governo venezuelano decidiu intervir por três meses em duas das principais processadoras de café do país - ambas controlam quase 80% do consumo venezuelano - depois que suas direções anunciassem o fechamento iminente devido à ausência de matéria-prima.

 

O ministro da Agricultura venezuelano, Elías Jaua, disse que o argumento da falta de matéria-prima é usado pelas empresas todos os anos quando faltam dois meses para a nova colheita com o objetivo de forçar uma alta nos preços.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.