Javier Casella/Reuters
Javier Casella/Reuters

Venezuela invadiu espaço aéreo colombiano, diz Bogotá

Segundo Ministério das Relações Exteriores, helicóptero venezuelano sobrevoou cidade fronteiriça

Efe e Reuters,

27 de janeiro de 2010 | 20h57

O governo da Colômbia denunciou que um helicóptero das Forças Armadas da Venezuela sobrevoou a cidade colombiana fronteiriça de Arauca nesta quarta-feira, 27, informaram fontes do Executivo em Bogotá, que também anunciaram uma nota de protesto.

 

O sobrevoo é um ato "inaceitável", advertiu em um comunicado o Ministério de Relações Exteriores colombiano, que assegurou o envio de uma nota de protesto à chancelaria da Venezuela "solicitando os esclarecimentos correspondentes" nas próximas horas.

 

O sobrevoo ilegal da aeronave venezuelana teria ocorrido às 9h30 local (11h30 de Brasília), de acordo com o comunicado, que no entanto não informa as especificações do helicóptero nem o tempo de permanência na Colômbia.

 

O ministro de Defesa colombiano, Gabriel Silva, assegurou que o sobrevoo foi premeditado, mas que os efetivos das Forças Armadas mantiveram a prudência para não cair em provocações: "Temos o registro de um helicóptero camuflado que sobrevoou Arauca e instalações militares da Colômbia nessa cidade e obviamente violou o espaço aéreo", disse Silva. "O que quero destacar é que não é uma violação acidental, mantivemos a máxima serenidade para evitar que isso se convertesse em uma provocação", acrescentou.

 

A Venezuela mantêm congeladas desde agosto do ano passado as relações diplomáticas e comerciais com a Colômbia devido a um acordo militar firmado entre Bogotá e Washington, que Caracas considera prejudicial para sua soberania.

 

A atual disputa é considerada como a pior desde 1987, quando os dois países, que dividem uma fronteira terrestre de 2.219 km, estiveram a um passo de uma guerra depois que um barco militar da Colômbia foi interceptado pela Armada da Venezuela em uma zona marítima disputada pelas duas nações.

 

Durante a atual crise diplomática, que afetou o comércio binacional, foram registrados assassinatos de colombianos em solo venezuelano, acusações de espionagem, detenções de efetivos das forças dos dois lados, destruições de pontes na fronteira e a expulsão massiva de mineiros colombianos da Venezuela. As autoridades colombianas deportaram ao menos dez militares venezuelanos que estavam ilegalmente na Colômbia no último ano.

 

Notícia atualizada às 23:40 para acréscimo de informações

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.