Venezuela já tem coordenadas para resgate de reféns das Farc

Segundo ministro do Interior venezuelano, operações militares colombianas na região tornam missão 'perigosa'

Efe,

25 de fevereiro de 2008 | 19h15

As Forças Armadas Revolucionárias da Colômbia (Farc) entregaram nesta segunda-feira, 25, ao governo da Venezuela as coordenadas do local em que serão entregues quatro ex-parlamentares seqüestrados pela guerrilha. Colômbia suspende operações no local da libertarão Como ocorreu no começo do ano, quando as políticas colombianas Clara Rojas e Consuelo González foram soltas pelas Farc, os quatro reféns serão entregues ao presidente venezuelano Hugo Chávez. "Em nome do presidente Hugo Chávez (...), quero anunciar que já temos com precisão o lugar onde se encontram os quatro reféns em poder das Farc, a serem entregues a nosso comandante-em-chefe e à senadora (colombiana) Piedad Córdoba", disse o ministro de Interior venezuelano, Ramón Rodríguez Chacín. Ele acrescentou que espera iniciar a operação de libertação na primeira hora de quarta-feira, 27.  O ministro destacou, no entanto, que "há intensas e fortes operações militares (colombianas) na região onde estão os reféns", razão pela qual eles "correm perigo". Na semana passada, o mais antigo grupo rebelde colombiano confirmou que libertaria "sem pressões" os ex-parlamentares Gloria Polanco, Orlando Cuéllar, Eladio Pérez e Jorge Eduardo Gechem Turbay.  Em janeiro, as Farc entregaram as políticas Clara Rojas e Consuelo González como um gesto de desagravo a Chávez, a quem Bogotá excluiu da mediação para uma troca humanitária de reféns por guerrilheiros presos.  As Farc mantêm centenas de pessoas seqüestradas, entre elas mais de 40 reféns - entre políticos, estrangeiros e militares - que pretendem trocar por membros da guerrilha mantidos presos pelo governo de Bogotá. Entre os cativos está a ex-candidata presidencial Ingrid Betancourt e três cidadãos norte-americanos.

Tudo o que sabemos sobre:
Farcrefénslibertação

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.