Venezuela não se desculpa por dólares enviados à Argentina

Segundo ministro venezuelano, tentativa de entrada de empresário portando US$ 800 mil é assunto particular

Patricia Rondón Espín, REUTERS

13 de agosto de 2007 | 17h35

A Venezuela se negou a pedir desculpas à Argentina pelo caso de um empresário que tentou entrar em Buenos Aires levando uma maleta com US$ 800 mil, disse nesta segunda-feira, 13, o ministro de Interior venezuelano, Pedro Carreño. O pronunciamento foi uma resposta a uma reivindicação do ministro de Planejamento argentino, Julio de Vido, que queria uma retratação de Caracas.    Veja Também Kirchner pede explicações sobre dólares a Chávez O caso aconteceu na semana passada com o venezuelano Guido Alejandro Antonini Wilson, que viajava em um avião fretado pela companhia estatal argentina Enarsa ao lado de funcionários da estatal Petróleos de Venezuela (PDVSA), num momento em que o presidente Hugo Chávez visitava a Argentina."Em relação às desculpas da Venezuela, não acho que seja competência do Estado assumir a responsabilidade, porque a responsabilidade é particular", disse Carreño em entrevista coletiva.Carreño acrescentou que a Venezuela não recebeu uma solicitação formal do governo da Argentina por um pedido de desculpas e disse duvidar que tal pedido acontecerá, apesar das declarações de De Vido, publicadas no sábado pelo jornal Clarín.De Vido disse que "são eles (os venezuelanos) que têm que pedir desculpas", segundo a reportagem.Carreño também afirmou que o caso fazia parte de uma campanha para minimizar os esforços de Caracas para fortalecer a união sul-americana."Acho que existem ações premeditadas para tentar atrapalhar ou não reconhecer os avanços em termos de integração, cooperação e de segurança energética que se implementa entre a Venezuela e o restante dos países do hemisfério sul", disse.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.