Venezuela nega ter oferecido território para bases russas

Governo desmente versão de agência russa e também nega que Caracas tenha adquirido US$ 30 bi em armas

Ansa,

23 de julho de 2008 | 16h44

O governo da Venezuela negou nesta quarta-feira, 23, que o presidente Hugo Chávez tenha feito uma proposta para que a Rússia estabelecesse bases militares em seu país, como sustenta a versão de uma agência de Moscou, reproduzida pela imprensa internacional. Em um comunicado, o Ministério da Informação e Comunicação desmentiu também que a Venezuela tenha se proposto a adquirir armas russas por US$ 30 bilhões. Veja também:Chávez busca 'armas e liderança' em Moscou, dizem analistas "Observamos com preocupação a falsificação de informação sobre a bem-sucedida visita do presidente da República Bolivariana da Venezuela, Hugo Chávez, à Rússia", diz a nota. O texto afirma ainda que "apareceu uma falsa notícia, segundo a qual a Venezuela adquiriria cerca de US$ 30 bilhões em armas, que foi desmentida no fim da tarde. Porém, antes disso, o sistema mundial de divulgação havia repercutido essa mentira". A versão sobre as bases russas em território venezuelano foi publicada pela agência Interfax. "Isso é totalmente falso. Em nenhum momento o chefe de Estado fez tal oferta", declara o comunicado oficial.

Tudo o que sabemos sobre:
ChávezRússiaVenezuela

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.