Venezuela pagará 'muito menos' para nacionalizar empresas

Presidente Hugo Chávez afirma que estatização de companhias do grupo Techint é medida contra o capitalismo

Efe,

11 de agosto de 2009 | 13h11

Ao comentar o processo de nacionalização da siderúrgica Sidor, da Techint, o presidente da Venezuela, Hugo Chávez, afirmou nesta terça-feira, 11, que o grupo empresarial argentino representa um "capitalismo voraz" e informou que pagará "muito menos" pela nacionalização das companhias Tavsa, Matesi e Comsigua - que têm participação da Techint, segundo o jornal argentino La Nación. A divulgação das declarações ocorre antes de um encontro entre Chávez e a presidente argentina, Cristina Kirchner, nesta terça-feira, em Caracas.

 

Na entrevista publicada pelo diário, Chávez negou que a mandatária argentina não tenha gostado da "piada" feita por ele dizendo que não pensava em nacionalizar filiais de nenhuma empresa brasileira na Venezuela. Segundo o líder venezuelano, "todo mundo sabe que foi uma piada" quando prometeu ao presidente da República, Luiz Inácio Lula da Silva, que não nacionalizaria "nenhuma" empresa brasileira.

 

O presidente da Venezuela acrescentou que esclareceu publicamente suas declarações depois de conversar com Cristina, que "nunca se incomodou" com o incidente, mas pediu o esclarecimento, porque "estavam dando muito duro" na Argentina, por causa da campanha para as eleições legislativas de junho. "O eixo Caracas-Buenos Aires é central para a região", disse, ao destacar a sintonia entre os dois Governos.

 

Chávez disse que os donos da Techint "são capitalistas que não têm alma" e que compraram empresas "estratégicas", como as do setor siderúrgico fornecedor de serviços à indústria petrolífera, enquanto "o Brasil está na Venezuela sob o formato de empresas mistas".

 

A Venezuela pagou US$ 660 milhões à Techint pelo total de US$ 1,97 bilhões negociados no acordo por 60% da Sidor, nacionalizada em maio de 2008.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.