Venezuela pede extradição de banqueiro fugitivo aos Estados Unidos

Eligio Cedeño fugiu para os EUA após Justiça venezuelana o conceder liberdade condicional

22 de abril de 2010 | 20h08

Efe

 

CARACAS- A Venezuela pediu aos Estados Unidos nesta quinta-feira, 22, a extradição do banqueiro Eligio Cedeño, que está no país, e é acusado na Venezuela de "desvio de fundos de acionistas, obtenção fraudulenta de divisas e contrabando agravado".

 

O Ministério de Relações Exteriores afirmou que a petição, fundamentada no Tratado de Extradição bilateral de 19 de janeiro de 1922, "foi introduzida oficialmente por funcionários da Embaixada venezuelana nos Estados Unidos ao Departamento de Estado desse país".

 

Cedeño, que ficou três anos presos pelos crimes citados, fugiu do país logo após a juíza María Afiuni o conceder liberdade condicional em 10 de dezembro de 2009.

 

Depois da fuga, a Procuradoria venezuelana pediu a detenção de Afiuni por "estar supostamente envolvida em irregularidades que permitiram a evasão do banqueiro Eligio Cedeño".

 

A suspeita de que se tratou de uma fuga planejada se baseou, entre outras evidências, em que Cedeño foi retirado do tribunal por uma saída alternativa e colocado em uma moto que o levou a um destino desconhecido.

 

Afiuni foi presa e atualmente está à espera do início de um processo judicial contra ela.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.