Venezuela prenderá membros do ETA se houverem 'provas irrefutáveis contra eles'

Embaixada do país em Madrid reiterou seu rechaço a vínculo com ETA-FARC

Associated Press,

16 de março de 2010 | 20h33

O governo venezuelano se comprometeu nesta terça-feira, 16, a prender qualquer membro do ETA sempre que hajam "provas irrefutáveis" contra eles e rebaixou o tom de suas críticas ao garantir que o país está decidido a preservar suas relações bilaterais com a Espanha.

 

Veja também:

linkChávez afirma que 'teve reunião' com ex-líder das Farc  

linkChávez adverte Espanha a não prejudicar relações com Venezuela

 

Um dia depois da ordem de prisão para 12 membros da organização separatista basca e da guerrilha colombiana FARC ser divulgada, a embaixada da Venezuela em Madrid se mostrou disposta a colaborar com a justiça espanhola, embora tenha voltado a negar as acusações que vinculam o governo Chávez com uma suposta mediação entre o ETA e as FARC.

 

"Reiteramos nosso compromisso de atuar frente a provas irrefutáveis que demonstrem objetivamente atividades dessa natureza", disse a embaixada em um comunicado, aludindo a supostos terroristas. "A embaixada ratifica seu rechaço a suposta vinculação de nosso governo com grupos terroristas".

 

Embora Chávez tenha defendido nesta segunda a colônia de ex-membros do ETA refugiados na Venezuela em virtude de um acordo entre os dois países em 1989, a embaixada deixou clara sua condenação a qualquer forma de terrorismo e deu ênfase à necessidade de combatê-lo "no marco dos princípios do direito internacional".

 

A embaixada denunciou a existência de uma campanha destinada a tornar tensas as relações entre a Espanha e a Venezuela e destacou seu propósito de conservar a boa sintonia entre os dois governos.

"Reiteramos nossa firme vontade de aprofundar esta relação amistosa e frutífera (com o governo espanhol)", disse o comunicado.

Tudo o que sabemos sobre:
VenezuelaEspanhaHugo ChávezETAFARC

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.