Venezuela processa ex-ministro opositor de Chávez por corrupção

A Venezuela acusou formalmente por corrupção na sexta-feira um ex-ministro da Defesa e fervoroso opositor do presidente Hugo Chávez, em uma manobra que pode eliminar um dos mais importantes adversários do líder socialista. O general Raúl Baduel , que resgatou Chávez de um golpe em 2002, rompeu com ele em 2007 e juntou-se a partidos de oposição. O militar acusou o líder de concentrar poder e usar instituições estatais para atacar dissidentes. O procurador militar general Ernesto Cedeno disse que Baduel foi acusado de desviar cerca de 14 milhões de dólares. "Esta investigação está relacionada com o roubo de fundos e ativos pertencentes às Forcas Armadas", disse Cedeno a jornalistas. Uma emissora de TV mostrou militares levando um relutante Baduel para dentro de um caminhão para ser conduzido ao tribunal. Cedeno disse que Baduel havia sido intimado a testemunhar após ter-se negado a fazê-lo repetidas vezes, mas que ele não estava preso. As acusações podem representar um duro golpe para a oposição, enquanto o país caminha para eleições regionais de governadores no mês que vem. No ano passado, Baduel ajudou a oposição a impedir a aprovação de uma reforma constitucional que estabeleceria reeleições infinitas para Chávez, além de aumentar o seu poder sobre a economia. Chávez tem sofrido críticas ao redor do mundo por bloquear as candidaturas de inúmeros políticos, incluindo o de um emergente líder opositor que concorreria à prefeitura de Caracas. O governo no mês passado expulsou dois ativistas dos direitos humanos depois que eles apresentaram um relatório acusando Chávez de usar o poder para intimidar dissidentes. O líder esquerdista, que o Departamento de Estado classifica como um "autocrata", ainda desfruta de um grande apoio popular por gastar com projetos sociais parte do dinheiro que a Venezuela arrecada com petróleo. (Por Brian Ellsworth e Patricia Rondon Espin)

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.