Venezuela prorroga 'emergência elétrica' por 60 dias

Regime de emergência foi determinado no dia 8 de fevereiro para tentar conter a crise elétrica

Efe

09 de abril de 2010 | 03h07

CARACAS - O presidente venezuelano, Hugo Chávez, prorrogou nesta quinta-feira, 8, o estado de "emergência elétrica" por 60 dias com o objetivo de enfrentar a crise energética causada principalmente pela maior seca ocorrida na Venezuela desde 1947.

 

"O Estado-Maior elétrico me recomendou prorrogar por 60 dias a declaração de emergência elétrica. Eu acolho essa recomendação e vou assinar a prorrogação", disse Chávez.

 

Chávez decretou o estado de emergência elétrica nacional em 8 de fevereiro com o agravamento da seca. A oposição assegura que outro fator determinante da crise foi a falta de planejamento e investimentos no setor ao longo dos 11 anos de administração chavista.

 

A emergência consiste em cortes de várias horas no fornecimento de energia em todo o país, com exceção de Caracas.

 

A seca afetou especialmente a represa de El Guri, que cobre 70% do consumo de eletricidade do país, mas relatórios meteorológicos indicaram que já começou a chover na bacia do rio Caroní, que alimenta o reservatório.

 

De qualquer forma, representantes do Estado-Maior elétrico apontaram que as restrições podem ser estendidas até outubro.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.