Venezuela ratifica Tratado Constitutivo de Unasul

País é o quarto que ratifica a adesão ao bloco sul-americano

Efe,

14 de março de 2010 | 00h43

O chanceler venezuelano, Nicolás Maduro, entregou no sábado, em Quito, a ratificação da Venezuela ao Tratado Constitutivo da União Sul-Americana de Nações (Unasul).

 

A ratificação foi realizada em uma pequena cerimônia no Palácio de Najas, sede da Chancelaria do Equador, país que exerce a Presidência provisória da Unasul. Na cerimônia, Maduro entregou o documento ratificado pelo legislativo venezuelano a seu colega equatoriano, Ricardo Patiño.

 

Com isso, Venezuela se tornou o quarto país a ratificar a adesão à Unasul, depois de Bolívia, Equador e Guiana. O organismo é formado no total por 12 países da América do Sul.

 

A Unasul pretende se constituir "sobre a base de pilares sólidos,na estruturação de uma nova economia, na estruturação da força cultural, espiritual, educativa de nossos povos e na integração política de nossas repúblicas", afirmou Maduro na cerimônia.

 

Após se reunir hoje com Maduro para preparar um encontro dos presidentes Rafael Correa (Equador) e Hugo Chávez (Venezuela), previsto para o próximo dia 26 em Quito, o chanceler equatoriano Ricardo Patiño louvou a ratificação da Venezuela ao Tratado Constitutivo de Unasul.

 

"A Unasul já está trabalhando intensamente. No entanto, sua formalização requer a ratificação das instâncias legislativas de cada um dos países", lembrou Patiño.

 

Ele espera que a União possa ser constituída formalmente ainda neste ano. Para isso, no entanto, ainda faltam cinco novas ratificações, pois a União só poderá ter personalidade jurídica com nove países-membros ratificados.

 

A União Sul-Americana é integrada pela Argentina, Brasil, Bolívia, Chile, Colômbia, Equador, Guiana, Paraguai, Peru, Suriname, Uruguai e Venezuela.

 

Tudo o que sabemos sobre:
VenezuelaUnasultratadoratifica

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.