Venezuelano da mala de dólares é procurado pela Interpol

Após ter prisão determinada por juíza argentina, Antonini Wilson vira foragido internacional

Agência Estado e Associated Press,

22 de agosto de 2007 | 21h18

A Interpol expediu nesta quarta-feira, 22, uma ordem internacional de prisão contra o empresário venezuelano-americano Alejandro Antonini Wilson, procurado na Argentina por fraude após ter sido flagrado no aeroporto de Buenos Aires com US$ 800,000 em uma maleta. Menem diz que Venezuela está envolvida em escândalo da mala O paradeiro de Antonini Wilson, levado à Buenos Aires por um avião alugado pela estatal argentina de energia, a Enarsa, é desconhecido.   Procuradores venezuelanos abriram uma investigação sobre o episódio e uma juíza na Argentina ordenou a prisão de Antonini Wilson na semana passada.   O empresário embarcou em um vôo oficial com funcionários governamentais venezuelanos e argentinos no dia 3 de agosto, gerando uma nova onda de acusações de corrupção contra o governo do presidente da Argentina, Néstor Kirchner, cuja mulher Cristina concorre em outubro à Presidência.   Vários membros do governo argentino já caíram, enquanto Kirchner e Hugo Chávez disputam a responsabilidade pelo ocorrido. A Bolívia se isentou das acusações de envolvimento no caso, negando uma possível escala do vôo em um aeroporto no país.   A Argentina espera explicações da também envolvida no caso, a estatal venezuelana Petróleos de Venezuela S.A. (PDVSA). O avião foi fretado pela estatal argentina Enarsa e nele viajavam funcionários da empresa e da PDVSA. A juíza argentina Marta Novatt ordenou na quinta-feira, 16, a captura internacional do empresário venezuelano. A ordem de captura foi solicitada pela promotora María Luz Rivas Diez, a cargo da investigação do caso e que acusou o empresário de "contrabando em grau de tentativa".

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.