Vice argentino ganha popularidade após vetar Cristina Kirchner

Pesquisas mostram que mais de 50% da população avalia Cobos positivamente após derrubar proposta do governo

Associated Press,

20 de julho de 2008 | 16h44

O vice-presidente argentino, Julio Cobos, passou de um dirigente político com escassa repercussão na opinião pública para um dos mais populares membros do governo após o seu voto contra a proposta de aumento de impostos agrícolas da presidente Cristina Kirchner, segundo pesquisas divulgadas neste domingo, 20.   Uma sondagem da Universidade Aberta Interamericana publicana pelo diário Perfil diz que 52,7% da população tem uma imagem positiva de Cobos; 20,6% tem uma imagem regular e 11,6% negativa. Segundo a instituição, a imagem positiva anterior do vice era de 37,5%.   Outra pesquisa, publicada pelo diário Clarín e preparada pela consultora Managment & Fit, revela que 50% dos 2,400 consultados avalia o vice como "bom ou muito bom". Sua imagem negativa é de 28%. O mesmo jornal apresenta uma pesquisa da consultora Aresco, afirmando que sete entre dez argentinos respaldam a decisão de Cobos e que entre os 2,500 consultados, 75% tem uma imagem positiva dele.   Na quinta, o Senado rechaçou um projeto de lei que buscava ratificar um polêmico sistema de aumentava os impostos de exportação sobre grãos apresentado pelo governo e que enfureceu o setor agropecuário, o qual liderou quatro grandes greves que paralisaram o país. A votação estava empatada e o vice-presidente, que também é presidente do Senado, decidiu derrubar a medida. Membros da aliança que governa o país chegaram a acusá-lo de traição e pediram sua renúncia.

Tudo o que sabemos sobre:
Argentinaruralistas

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.