Vice-presidente argentino depõe na Justiça por suposta compra ilegal de carro

O vice-presidente argentino, Amado Boudou, cuja situação política é delicada por ser alvo de um processo em um caso de corrupção, voltou nesta quarta-feira a um tribunal para declarar em outra investigação, desta vez sobre a suposta compra irregular de um veículo.

REUTERS

23 Julho 2014 | 12h39

Boudou está sob suspeita de ter adquirido há 20 anos um automóvel mediante documentação falsa. A ação foi aberta depois de uma denúncia do órgão estatal encarregado do registro da propriedade dos veículos.

O vice-presidente compareceu pela manhã ao tribunal federal da capital argentina, mas se negou a responder às perguntas do juiz Claudio Bonadío, segundo o Centro de Informação Judicial (CIJ). Em vez disso, ele entregou ao magistrado um texto no qual expôs sua defesa, acrescentou o CIJ.

No mês passado Boudou se tornou o primeiro vice-presidente na história argentina a ser processado durante o exercício de suas funções, ao ser acusado formalmente por um juiz de ter participado na compra irregular de uma empresa que imprime papel-moeda para o Estado.

Boudou afirma ser inocente e diz ser vítima de uma campanha midiátia contra ele.

(Reporte de Alejandro Lifschitz)

Mais conteúdo sobre:
ARGENTINAVICEPRESIDENTEDEPOE*

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.