Vietnã respeita renúncia e pede que Fidel continue a revolução

'Castro inaugurou era de liberdade real para povo cubano e contribuiu para construção e proteção de Cuba'

Efe,

20 de fevereiro de 2008 | 05h07

O Governo do Vietnã "respeita a decisão do presidente de Cuba, Fidel Castro, de renunciar ao poder", embora espere que continue impulsionando a Revolução Cubana. O anúncio foi feito nesta quarta-feira, 20. Veja também:Leia cobertura completa da renúncia de Fidel   "Estamos convencidos de que o presidente Fidel, em qualquer cargo, seguirá contribuindo com seu poder mental para a Revolução Cubana, e o desenvolvimento das amistosas e tradicionais relações com o Vietnã", assinalou o Ministério de Assuntos Exteriores. O Ministério fez questão de elogiar o "último dos líderes da época da Guerra Fria" por liderar a Revolução Cubana. "Castro inaugurou uma era de liberdade real para o povo cubano, e contribuiu de maneira imensa para a construção e proteção de Cuba durante as últimas cinco décadas", apontou a carta oficial. Assim como Cuba, o Vietnã foi durante décadas alvo de um embargo econômico imposto pelos Estados Unidos, que foi encerrado em 1994, com o reatamento das relações diplomáticas entre Hanói e Washington. Atualmente, os Estados Unidos são um dos mais importantes parceiros comerciais do Vietnã, que no ano passado aumentou em 25% suas exportações ao mercado americano, em relação a 2006, segundo os dados divulgados pela Comissão Internacional de Comércio dos EUA. O secretário-geral do Partido Comunista do Vietnã (PCV), Nong Duc Manh, visitou Cuba em junho de 2007, e se reuniu com Castro e seu irmão Raúl, a quem convidou oficialmente para visitar o Vietnã.

Tudo o que sabemos sobre:
CubaFidel Castro

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.