Vulcão argentino entra em atividade e autoridades declaram estado de alerta

Comitê de Emergência não considerou necessária a evacuação dos habitantes da região

Marina Guimarães, correspondente de O Estado de S.Paulo

22 de dezembro de 2012 | 19h14

BUENOS AIRES - O vulcão argentino Copahue entrou em atividade neste sábado, 22. O vulcão está localizado na região da Patagônia, ao noroeste da Província de Neuquén, fronteira com o Chile, cerca de 1.200 quilômetros ao sudeste de Buenos Aires. O Comitê de Emergência da Província declarou estado de alerta, mas não considerou necessária a evacuação dos habitantes de Copahue e Caviahue, cidades encravadas aos pés do vulcão que tem 2.997 metros de altura.

 

"As cinzas expelidas não provocam problemas de saúde", informou o comitê. Porém, inúmeras famílias abandonaram suas casas por temor da evolução das atividades do vulcão. O comitê e a Defesa Civil estão acompanhando a situação para determinar as ações necessárias, conforme a atividade vulcânica. O Serviço Nacional de Geologia e Mineração do Chile, elevou o estado de alerta de "amarelo" para "laranja" (terceiro de uma escala de quatro níveis).

 

A parte superior do vulcão está coberta por gelo, neve e uma lagoa. A região é conhecida por dois atrativos turísticos: as águas termais e um centro de esqui. A região se encontra a 360 quilômetros de distância da capital de Neuquén. No ano passado, as cinzas expelidas pelo vulcão chileno Puyehue, também na Cordilheira dos Andes, afetou a região durante quatro meses, a partir de junho, em plena temporada de inverno. Centenas de voos foram cancelados, pacotes turísticos perdidos, animais mortos e muitos prejuízos. Naquela ocasião, as cinzas vulcânicas do Puyehue chegaram até Buenos Aires.

Mais conteúdo sobre:
VulcãoArgentinaautoridades

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.