Vulcão no Ecuador tira 2.500 pessoas de casa e afeta tráfego aéreo

Emissões já pararam, mas especialistas não descartam novos episódios em breve

Estadao.com.br,

29 Maio 2010 | 12h14

Erupção no vulcão Tungurahua: especialistas não descartam novos episódios (foto: Dolores Ochoa/AP)

 

O vulcão Tungurahua, no centro do Equador, 135 quilômetros ao sul de Quito, registrou na sexta-feira, 28, uma de suas maiores erupções, obrigando a população evacuar a área e levando quatro aeroportos a suspenderem operações, segundo informações da France Presse.

 

No total, 2.500 pessoas nas províncias de Chimborazo e Tungurahua tiveram que deixar a região e ficaram desabrigadas, segundo o governo. Várias delas foram a Penipe, onde há abrigos para 160 pessoas e casas recém construídas em um plano de reassentamento de comunidades em risco, disse o prefeito local, Fausto Chunata, à France Presse.

 

A emissão de fluxos piroclásticos (mistura de gases, cinza e rochas cuja temperatura pode chegar a 800ºC já parou, mas não estão descartadas novos episódios similares, segundo o Instituto Geofísico de Quito. O diretor da entidade, Hugo Yépez, avaliou a situação como "séria e complexa".

 

O maior pico foi registrado em agosto de 2006, causando seis mortes e destruindo 700 casas, além de ter danificado a infraestrutura da região.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.