Zelaya desafia oposição e anuncia retorno a Honduras

Presidente deposto deve retornar ao país; comitiva com Cristina Kirchner e Rafael Correa vai a San Salvador

Agências internacionais,

05 de julho de 2009 | 14h00

O presidente deposto de Honduras, Manuel Zelaya, afirmou que partirá neste domingo de Washington com destino a Tegucigalpa, capital hondurenha, acompanhado pelo presidente da Assembleia Geral da Organização das Nações Unidas, Miguel D'Escoto. A afirmação acontece horas depois do governo interino de Honduras anunciar que um avião trazendo o presidente deposto não está autorizado a aterrissar no país.

 

Veja também:

especialEntenda a origem da crise política em Honduras

som Podcast: De Honduras, Gustavo Chacra comenta expectativas para volta de Zelaya

som Podcast: Representante da OEA analisa atual situação em Honduras

som Podcast: Professor da Unesp analisa Golpe de Estado em Honduras

som Podcast: Especialista teme que países sigam o exemplo

linkPerfil: Eleito pela direita, Zelaya fez governo à esquerda

lista Ficha técnica: Honduras, um país pobre e dependente dos EUA  

 

Segundo Zelaya, duas comissões partirão de Washington. A primeira, liderada por ele e composta também por D'escoto, viajará a Tegucigalpa. A segunda, liderada pelo secretário-geral da Organização dos Estados Americanos, José Miguel Insulza, viajará a San Salvador e terá como integrantes a presidente da Argentina, Cristina Fernández, o presidente do Equador, Rafael Correa, e o presidente do Paraguai, Fernando Lugo.

 

Correa afirmou, durante uma entrevista coletiva concedida na embaixada do Equador em Washington, ser mais prudente que Zelaya fosse acompanhado apenas por D'escoto na viagem a Honduras. Ele acrescentou que a comitiva com destino a San Salvador aguardará uma confirmação de que Zelaya poderá aterrissar.

Tudo o que sabemos sobre:
Hondurasgolpe de Estado

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.