Zelaya é acusado de gastar US$ 6,5 milhões de dinheiro público

Relatório oficial relata despesas com cavalos, moto, além de viagens, compra de jóias e roupa e aluguéis

EFE,

05 de setembro de 2009 | 20h44

O presidente deposto de Honduras, Manuel Zelaya, gastou quase US$ 6,5 milhões provenientes de fundos públicos com despesas com seus cavalos e sua moto, além de viagens, compra de jóias e roupa e aluguéis, segundo um relatório oficial divulgado neste sábado, 5.

O presidente do Tribunal Superior de Contas (TSC), Renan Sagastume, anunciou que, nos próximos dias, enviará ao Ministério Público a documentação sobre as despesas, para que formule ações para serem enviadas aos tribunais de justiça.

O TSC determinou "pagamentos irregulares por um montante de 123.025.613,63 lempiras (US$ 6,47 milhões)" e destacou que esta é só uma pequena parte da informação contida em 200 caixas de documentos investigados pela instituição.

Entre as despesas, o TSC destaca o salário pago ao tratador dos cavalos de Zelaya, "Café" e "Rocío", de 20 mil lempiras (US$ 1.052) por mês, além de outras despesas com os animais no valor de US$ 6 mil, segundo o documento do TSC, divulgado hoje.

O documento menciona ainda o conserto de uma motocicleta Harley-Davidson de Zelaya, além da compra de dois bilhetes aéreos por 715.469 lempiras (US$ 37.656), sem destino e viajantes especificados; 307.186 lempiras (US$ 16.167) em passagens de avião para jornalistas.

Além disso, Zelaya é acusado de utilizar dinheiro público em aluguel de aviões e helicópteros, compra de vinhos para um casamento e equipamento de som para um automóvel.

Tudo o que sabemos sobre:
Hondurascrise

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.