Zelaya encontra Lula para pedir apoio contra golpe hondurenho

Presidente deposto quer discutir estratégias mais enérgicas contra o golpe de Estado que sofreu em junho

12 de agosto de 2009 | 09h27

O presidente deposto de Honduras, Manuel Zelaya se reúne na tarde desta quarta-feira, 12, com o presidente Luiz Inácio Lula da Silva em Brasília. Ao chegar ao País na noite de terça, o líder hondurenho disse que pretende negociar com o colega brasileiro retaliações ao governo de Roberto Micheletti, que assumiu o poder após o golpe de Estado do dia 28 de junho.

Veja também:

lista Perfil: Zelaya fez governo à esquerda em Honduras

especialEntenda a origem da crise política em Honduras

especialPara analistas, pressão econômica seria a saída

"Minha presença aqui com o presidente Lula e o chanceler Amorim é para buscar estratégias mais enérgicas", afirmou Zelaya na base aérea de Brasília. "Temos de reconhecer o esforço dos EUA, mas cremos que não é suficiente, é demasiado tímido. O presidente Barack Obama deve tomar medidas mais enérgicas na parte comercial econômica e migratória".

Zelaya não foi recebido pelo embaixador de Honduras no Brasil, Victor Manuel Lozano Urbina, que se internou no Hospital das Forças Armadas (HFA) na segunda-feira alegando problemas de saúde.

Pressionado por um lado pelo presidente de facto, Roberto Micheletti, e por outro pelo presidente deposto, Manuel Zelaya, Urbina foi internado, sem previsão de alta, e mantido incomunicável. O governo brasileiro não reconhece a presidência de Micheletti e a visita de Zelaya tem caráter oficial.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.