'Zelaya pode voltar quando quiser', diz Lobo

Segundo presidente hondurenho, ninguém pode impedir que ex-líder retorne ao país

Efe,

18 de março de 2010 | 22h09

O presidente de Honduras, Porfirio Lobo, garantiu nesta quinta-feira, 18, que o ex-líder Manuel Zelaya, tirado do poder por um golpe em 28 de junho de 2009, pode retornar ao país quando quiser.

 

"O presidente Zelaya pode retornar a Honduras quando quiser e tem que ser tratado com dignidade, como ex-presidente", disse Lobo à imprensa durante uma visita à cidade de Juticalpa.

 

Lobo afirmou que toda a comunidade internacional já advertiu que Zelaya deve retornar a Honduras, o que, segundo ele, ninguém pode proibir.

 

"Ele pode voltar quando quiser. Ele não é hondurenho? Quem pode proibir que venha aqui?", questionou.

 

Lobo assumiu o poder em 27 de janeiro passado, mesmo dia em que Zelaya deixou a embaixada brasileira, após mais de quatro meses, com um salvo-conduto presidencial.

 

Por causa do golpe contra Zelaya, que é acusado na Justiça de corrupção, a sociedade hondurenha se polarizou.

 

Na opinião de Lobo, o povo tem que valorizar o compromisso de dar paz à nação e, sobretudo, respeitar a vontade popular mostrada nas eleições de 29 de novembro passado.

 

"O povo disse 'queremos paz e queremos reconciliação da família hondurenha'", ressaltou Lobo, que, brincando, disse que fará com que Zelaya se abrace com o ex-chefe do Estado-Maior das Forças Armadas Romeo Vásquez, apontado pelos zelayistas como um dos articuladores do golpe.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.