A 4 dias da eleição, Obama está 11 pontos à frente de McCain

Segundo pesquisa do 'NYT', vice republicana é considerada desqualificada para o cargo por 59% do eleitorado

Agências internacionais,

31 de outubro de 2008 | 08h36

Depois de quase dois anos de campanha presidencial americana, das batalhas pela nomeação na candidatura, uma série de debates e uma avalanche de propaganda eleitoral, as pesquisas nacionais de intenção de voto divulgadas nesta sexta-feira, 31, mostra que o candidato democrata, Barack Obama, está conseguindo sustentar sua vantagem sobre o rival republicano, John McCain. Cerca de 20% dos eleitores registrados já votaram segundo o jornal americano The New York Times. A pesquisa publicada na edição desta sexta do jornal nova-iorquino mostra o senador de Illinois 11 pontos à frente de McCain.   Dos entrevistados pela pesquisa do NYT, 51% afirmaram que preferem Obama como presidente, contra 40% que apóiam McCain, em caso de ter de escolher entre os dois nas eleições da próxima terça-feira. Outras duas sondagens dão vantagem ao democrata. Segundo a pesquisa diária Reuters/C-SPAN/Zogby, o democrata tem vantagem de sete pontos percentuais (50-43%), mesmo valor apontado pelo compilado da enquete da CNN divulgado na quinta-feira.   Veja também: Uma piscada que pode custar caro para Obama Enquete: Você votaria em McCain ou Obama?  Confira os números das pesquisas nos Estados  Obama x McCain  Entenda o processo eleitoral   Cobertura completa das eleições nos EUA   O NYT aponta ainda que um crescente número de eleitores concluíram que a vice-candidata escolhida por John McCain, a governadora do Alasca Sarah Palin, não é qualificada para o cargo em caso de vitória da chapa republicana. Três quartos dos ouvidos disseram que o aspirante democrata à Vice-Presidência, o senador Joe Biden, está capacitado para exercer esse cargo. Já a republicana Sarah Palin é criticada por 59% dos ouvidos. A pesquisa foi realizada entre os dias 25 e 29 de outubro, e ouviu 1.439 eleitores de todo o país.   Quando outras candidaturas minoritárias são colocadas como opção, a vantagem de Obama aumenta ainda mais na pesquisa do Times, para 52%, contra 39% para McCain. O candidato democrata parece ser o mais beneficiado com a preocupação do eleitorado sobre a situação econômica atual, que 89% dos entrevistados encaram com pessimismo. O senador por Illinois é visto como "o candidato da mudança" por 64% dos ouvidos, enquanto apenas 39% acreditam que McCain realizaria "uma autêntica mudança" nos rumos do país. No entanto, o senador republicano pelo Arizona seria um comandante-em-chefe "muito eficaz" para 47% dos entrevistados, contra 33% que opinam o mesmo sobre Obama.   Este é o segundo dia seguido que Obama atinge a marca de 50% de apoio na pesquisa Zogby e a oitava vez que ele chega a essa marca nas últimas 11 enquetes. O apoio a McCain não passou de 45% por mais de três semanas de pesquisas diárias. O apoio a Obama manteve-se firme entre importantes grupos do eleitorado, com 15 pontos de vantagem entre os independentes, 9 pontos entre as mulheres, 5 pontos entre os homens e 9 pontos entre os católicos. A pesquisa, feita por telefone entre terça e quinta-feira com 1.201 pessoas, tem margem de erro de 2,9 pontos percentuais.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.