'A vida não é justa', diz McCain sobre queda nas pesquisas

Atrás de Obama em várias sondagens, republicano afirma gostar de ser 'retardatário' e se mostra confiante

Efe e AP,

02 de outubro de 2008 | 16h26

O candidato republicano à Casa Branca, John McCain, disse nesta quinta-feira, 2, que "a vida não é justa" em resposta a sua queda nas pesquisas eleitorais do país desde o agravamento da crise financeira. O Real Clear Politics, site que mensura a média das sondagens, indica nesta quinta que o democrata Barack Obama conta com uma vantagem de 5,8 pontos.   Obama x McCain  Entenda o processo eleitoral   Cobertura completa das eleições nos EUA   Outra pesquisa divulgada na quarta também apontava Obama como vencedor em Ohio, Pensilvânia e Flórida, três dos doze Estados onde se prevêem que sejam fundamentais para as eleições de 4 de novembro.   McCain falou nesta quinta sobre os resultados em uma entrevista na emissora Fox. "A vida não é justa", disse entre sorrisos. "Vamos bem... Íamos adiante nas pesquisas e depois caímos, depois subimos, depois caímos. Não podemos nos preocupar com o que acontece no dia-a-dia", continuou.   Ainda nesta quinta, uma pesquisa da CBS e do jornal The New York Times indica que o democrata tem nove pontos de vantagem sobre o republicano.   "Temos muito trabalho a fazer, sempre me agradou ser o retardatário e creio que estaremos de pé até muito tarde no dia da eleição. Estou muito contente do lugar em que nos encontramos", completou McCain.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.