Javier Cantellops
Javier Cantellops

Americana é resgatada depois de 17 dias perdida em floresta do Havaí

Para se manter viva, ela bebeu água de um rio e comeu frutas, plantas e até insetos

Renato Ghelfi, O Estado de S.Paulo

26 de maio de 2019 | 10h47

A professora de yoga Amanda Eller, de 35 anos, foi resgatada na tarde de sexta-feira, 24, depois de passar 17 dias perdida em uma floresta na ilha de Maui, que faz parte do Havaí

Durante a semana, centenas de voluntários procuravam a americana em uma área de mata fechada, próxima ao local em que seu carro foi visto dias depois que ela desapareceu.

Eller estava perto de um riacho quando foi avistada por uma equipe de resgate. Horas antes de ser encontrada, sua família anunciou o pagamento de US$ 50 mil a quem fornecesse alguma informação sobre o paradeiro da professora de yoga. 

Segundo reportagem publicada pelo The New York Times, a americana disse aos médicos que a atenderam que pensou em desistir. "As únicas opções que eu tinha eram viver ou morrer".  

Eller explicou que se perdeu enquanto fazia uma trilha pela floresta local e não conseguiu achar o caminho de volta. Para piorar, ela fraturou a perna depois de alguns dias na mata, o que dificultou ainda mais a sua sobrevivência. 

Nos 17 dias em que passou na floresta, a americana bebeu água de um rio e comeu frutas, plantas e até insetos. À noite, se cobria com folhas para se aquecer - na região, a temperatura mínima pode chegar a 15ºC.

"Eu estava emagracendo tanto que comecei a duvidar se poderia sobreviver", disse ela, segundo o The New York Times. Com o atendimento médico, Eller deve se recuperar totalmente nos próximos dias. 

 

Mais conteúdo sobre:
The New York TimesHavaí

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.