Apesar de câncer, Ted Kennedy integra convenção democrata

Veterano político foi um dos primeiros a apoiar Obama; senador será homenageado com vídeo no evento

Agências internacionais,

25 de agosto de 2008 | 12h48

O senador democrata Ted Kennedy assistirá nesta segunda-feira, 25, ao início da Convenção do Partido Democrata, em Denver, apesar de que não estar prevista sua participação, já que o político luta contra um câncer no cérebro, informaram fontes democratas. Kennedy, de 76 anos, é um bastião da ala liberal do Partido Democrata e seu escritório tinha indicado que este apenas gravaria uma mensagem por vídeo para os presentes à convenção que oficializa a candidatura de Barack Obama.   Veja também: Veja o perfil do senador Ted Kennedy Democratas tentam reunificar partido em convenção Hillary deve liberar delegados para votarem em Obama Obama mantém pequena vantagem sobre McCain em pesquisas Obama x McCain Conheça a trajetória dos candidatos Cobertura completa das eleições nos EUA    O veterano político foi um dos primeiros nomes de peso a apoiar Obama como o nome do partido para a disputa presidencial, durante as acirradas primárias com Hillary Clinton. Um vídeo de oito minutos fará um tributo ao senador por Massachusetts Edward Kennedy. Produzida pelos documentaristas Ken Burns e Mark Herzog, a obra será apresentada pela sobrinha do senador, Caroline Kennedy. Ted Kennedy teve um câncer incurável no cérebro diagnosticado em maio. Ele gravou uma mensagem de cinco minutos, que irá ao ar também na noite desta segunda-feira.   O senador democrata é o único sobrevivente dos quatro irmãos Kennedy - Joseph morreu em um acidente de avião em 1944, durante a 2ª Guerra; o presidente John foi assassinado em 1963; e o senador Robert foi morto em 1968. Ted foi eleito em 1962 e está em seu oitavo mandato. Ele é o segundo senador americano há mais tempo no cargo - depois do democrata Robert Byrd, de 90 anos, no Senado desde 1959.   No Senado, Ted se destacou por ter participado de votações históricas, como o Ato de Direitos Civis, de 1964, e por sua defesa de temas populares entre a ala mais à esquerda do Partido Democrata, como o salário-mínimo e seguro-saúde. Ele também se destacou por procurar implementar projetos de lei que contaram com o apoio de membros da oposição republicana. Ele foi o co-autor de um malogrado plano de imigração, defendido por ele e pelo também senador e candidato presidencial John McCain.   Em 1980, Ted Kennedy entrou na corrida para a Casa Branca, mas foi derrotado pelo então presidente Jimmy Carter na disputa pela candidatura democrata. Sua candidatura foi prejudicada pela polêmica em torno de um acidente de carro que ele sofreu em 1969 em Chappaquiddick, uma pequena ilha próxima do balneário de Martha's Vineyard. O carro que ele dirigia caiu de uma ponte. Sua assessora Mary Jo Kopechne morreu no acidente. Kennedy deixou o local e só avisou as autoridades no dia seguinte. Analistas consideram que a controvérsia sobre a responsabilidade de Kennedy e sua demora em comunicar o acidente às autoridades sepultou qualquer chance de o democrata chegar à Presidência.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.