Apoio a Obama cai entre democratas dos EUA, diz pesquisa

Pré-candidato perde eleitorado masculino e de renda elevada; McCain se beneficia de crise democrata

Reuters,

04 de abril de 2008 | 10h43

O apoio ao pré-candidato Barack Obama entre os democratas dos Estados Unidos diminuiu no último mês, segundo pesquisa New York Times/CBS News divulgada na quinta-feira, 3. Apesar da queda de 7 pontos percentuais da avaliação positiva ao candidato em comparação ao final de fevereiro, o pré-candidato ainda tem 62%, segundo o jornal. O declínio é mais acentuado entre homens e eleitores de renda elevada.   Veja também: Jane Fonda apóia candidatura de Barack Obama Confira a disputa em cada Estado Conheça a trajetória dos candidatos Cobertura completa das eleições nos EUA    No período entre as duas pesquisas, o senador enfrentou duros ataques de sua rival Hillary Clinton e fez um discurso reagindo à polêmica provocada pelos sermões incendiários de um pastor da igreja que ele costuma freqüentar em Chicago. De acordo com o Times, a ampla liderança de Obama sobre Hillary desapareceu neste período.   Em fevereiro, 67% dos homens torciam para que Obama fosse o escolhido do Partido Democrata para disputar a Casa Branca em novembro. Só 28% dos homens queriam que a indicada fosse Hillary. Agora, a vantagem a favor de Obama entre os homens caiu para 47-42%. A vantagem de Obama também caiu entre os brancos, entre os eleitores que ganham mais de 50 mil dólares por ano e entre os eleitores com menos de 45 anos.   Em nível nacional, Obama ainda está à frente, mas já se configura empate técnico - entre 46 e 43% em favor dele. A margem de erro é de 3 pontos percentuais para o eleitorado como um todo e de 4 pontos para os eleitores das primárias democratas.   A pesquisa indica que o candidato republicano, John McCain, está se beneficiando do acirrado embate entre os democratas. McCain agora é visto positivamente por 67% dos eleitores das primárias republicanas. Em fevereiro, sua avaliação positiva era de 57%.   Nas simulações contra o republicano, Obama e Hillary lideram por cinco pontos percentuais (47-42 e 48-43, respectivamente). No final de fevereiro, antes que McCain assegurasse a indicação republicana, Obama o superava por 50-38%.   A pesquisa nacional foi feita por telefone entre 28 de março e 2 de abril. Foram ouvidos 1.196 eleitores registrados, sendo 510 participantes das primárias democratas e 323 das primárias republicanas.

Tudo o que sabemos sobre:
eleições nos EUABarack Obama

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.