Apoio a Obama não é unânime entre congressistas negros

Mais de um terço dos membros negros do Congresso dos EUA apoia Hillary Clinton ou John Edwards

17 de janeiro de 2008 | 20h13

Barack Obama pode se tornar o primeiro presidente negro dos EUA, mas isso não está garantindo ao pré-candidato democrata o apoio dos congressistas afro-americanos. Mais de um terço dos membros negros do Congresso estão suportando a campanha da senadora Hillary Clinton ou do ex-senador pela Carolina do Norte John Edwards nas primárias presidenciais. O fato está criando tensões com os outros políticos afro-americanos, que apoiam Obama, segundo o site politico.com.    Veja também:  Karl Rove lança estratégias contra democratas Hillary e Obama  McCain esboça plano de estímulo econômico para os EUA Como 'aeromoça', Hillary faz discurso informal à imprensa Cobertura completa das eleições  Eleições nos EUA    Os políticos negros que suportam Hillary afirmam que seu voto não está baseado na questão da raça. Em vez disso, eles citam o longo relacionamento com a família Clinton, o respeito que têm pela vasta experiência política de Hillary, além de alianças estratégicas com ela em Nova York.   Mas agora que Obama venceu as primárias de Iowa e ficou bem colocado em Michigan, políticos afro-americanos que suportam o pré-candidato estão tentando atrair os aliados de Hillary com oportunidades políticas, que surgiriam caso o primeiro presidente negro dos EUA fosse eleito.   "Eles são políticos profissionais e a primeira coisa que um político profissional aprende é a estar onde é mais vantajoso politicamente", disse o congressista Danny K. Davis, aliado de Obama. "Eu acho que há pessoas repensando e redefinindo seus votos, já que elas simplesmente não sabiam o cenário que começaria a se desenvolver por trás de Obama", disse Davis.   Até agora, os aliados de Hillary estão se mantendo firmes, apesar das críticas de outros congressistas negros e da mudança de opinião da base negra em relação a Obama. 

Tudo o que sabemos sobre:
Afro-americanosObamaeleições EUA

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.