Apoio de Bush pode prejudicar McCain

Imagem do candidato republicano pode ser associada à impopularidade do presidente americano

Agências internacionais,

06 de março de 2008 | 08h25

O endosso do presidente dos Estados Unidos, George W. Bush, para John McCain pode custar muito caro para a imagem do candidato republicano. Assim como o apoio de Bush deve elevar a quantia de doações para a campanha, ele também transmite a idéia de um governo marcado pelos altos preços de combustíveis, uma economia em risco, a ameaça de recessão, a má reputação americana no mundo e toda a turbulência gerada no Oriente Médio e com a guerra do Iraque. Veja também:Bush declara apoio à candidatura de McCain McCain busca agora candidato a vice-presidenteJohn McCain consegue a nomeação republicanaConfira a disputa em cada Estado Conheça a trajetória dos candidatos Cobertura completa das eleições nos EUA    Segundo pesquisa do Washington Post-ABC News, dois terços dos entrevistados rejeitam a administração de George W. Bush, e a maioria também afirmou "com firmeza" que não valeu a pena lutar no Iraque. Segundo o Post, estes pontos de vista estão muito relacionados com as preferências dos eleitores, por isso McCain dificilmente teria os votos dos que rejeitam a política do atual presidente e dos que se opõem à Guerra do Iraque. "McCain deixará bem claro que não será um terceiro mandato de Bush, mas a Presidência de John McCain", disse o pesquisador republicano David Winston. Bush e McCain mostraram solidariedade na disputa presidencial na quarta-feira, quando o presidente abraçou a candidatura do senador do Arizona pelo Partido Republicano. Porém, ainda não está claro o papel de Bush na campanha pela eleição de McCain. O presidente americano, cuja aprovação atingiu o recorde de impopularidade na última medição em fevereiro(30%), afirma que a eleição não tem relação com ele. "Os eleitores não vão votar em mim, eu já tive meu período no Salão Oval", respondeu. "(Não importa) se meu endosso o ajuda ou se o que o ajudaria seria eu estar contra ele - de qualquer maneira, eu quero que ele ganhe.". Bush e McCain foram rivais em 2000, quando disputaram a indicação do Partido Republicano para as eleições presidenciais daquele ano, e já demonstraram diferenças políticas no passado. Horas após o encontro de Bush e McCain, o Comitê Nacional dos Democratas disparou uma nota sobre como a Presidência de McCain seria semelhante a um terceiro mandato de Bush em aspectos econômicos, na saúde, segurança social e na guerra no Iraque. Elevar o número de doações para a campanha é claramente a prioridade dos republicanos. Apesar do seu baixo índice de aprovação, Bush pode ser tornar mais popular com o aumento das largas doações. O presidente arrecadou mais de US$ 66 milhões em 2007 para os candidatos republicanos. Funcionários da Casa Branca afirma que a baixa aprovação do presidente é um ponto a ser discutido na campanha de McCain. Eles afirmam ainda que os democratas gastarão milhões de dólares insistindo de McCain será uma seqüencia de Bush.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.