Joe Raedle/Getty Images/AFP
Joe Raedle/Getty Images/AFP

Após 20 mortes no Caribe, Irma segue rumo aos EUA com ventos de 260 km/h

Alerta para que pessoas deixem suas casas já foi emitido em dois estados americanos; países como Cuba e República Dominicana não registraram grandes danos

O Estado de S. Paulo

09 Setembro 2017 | 09h02

Depois de atingir Cuba na manhã de hoje e deixar ao menos 20 mortos em todo o Caribe, o furacão Irma segue para o sul do estado da Flórida, nos EUA, com ventos de aproximadamente 260 quilômetros por hora. A previsão é que o Irma chegue na Flórida no domingo (10) de manhã. O furacão José, que atingiu hoje a categoria 4, segue logo atrás.

Irma recuperou o status da categoria 5 durante a noite, depois caiu para a categoria 4 no início do sábado, quando milhares de pessoas no Caribe lutaram desesperadamente para encontrar abrigo ou escapar das enchentes causadas pela tempestade. Nos EUA, mais de 6 milhões de pessoas na Flórida e na Geórgia foram avisadas para deixar suas casas. Porto Rico, República Dominicana e a parte oriental de Cuba não relataram grandes destruições ou danos depois que o furacão Irma atingiu as maiores ilhas do Caribe.

Muitos residentes e turistas ficaram em estado de choque depois que a tempestade derrubou alguns dos lugares mais exclusivos do mundo, conhecidos pelo seu mar azul turquesa e exuberante vegetação. Entre eles: St. Martin, St. Barts, St. Thomas, Barbuda e Anguilla. Irma devastou casas, lojas, estradas e escolas. Deixou as regiões sem energia, sem água e serviço telefônico; milhares de turistas ficaram presos.

Na sexta-feira, houve saques e tiros em St. Martin, e um toque de recolher foi imposto nas Ilhas Virgens Americanas. Ao todo, 20 pessoas morreram, sendo 11 em St. Martin e St. Barts, quatro nas Ilhas Virgens dos EUA, quatro nas Ilhas Virgens Britânicas e uma em Anguilla./AP

Encontrou algum erro? Entre em contato

publicidade

publicidade

publicidade

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.