Drew Angerer/Getty Images/AFP
Drew Angerer/Getty Images/AFP

Autoridades de Nova York preveem forte tempestade de inverno na cidade

Previsões indicam que a temperatura pode cair para até 16 graus negativos; a sensação térmica pode chegar a -28 graus

EFE

04 Janeiro 2018 | 02h34

NOVA YORK - As autoridades de Nova York anunciaram medidas especiais diante da tempestade de inverno que é esperada para as próximas horas, que terá especial impacto na cidade e em seus arredores na manhã de quinta-feira, 04.

"Está chegando uma forte tempestade, com condições muito perigosas", afirmou o prefeito da cidade, Bill de Blasio, em declarações aos jornalistas para advertir sobre os riscos, especialmente na quinta-feira.

As previsões meteorológicas indicam que o impacto mais forte será sentido em Long Island, ao leste de Manhattan, e em partes do litoral dos estados vizinhos de Nova Jersey e Connecticut.

Em princípio, o máximo de neve que cairá chegará a 30 centímetros em algumas áreas, mas as projeções podem mudar rapidamente.

As autoridades da cidade anunciaram que as unidades para a remoção de neve estarão em estado de alerta durante toda a noite para serem utilizadas por Nova York quando for necessário.

+++ Onda de frio mata ao menos 16 nos EUA e faz nevar na Flórida

Depois da passagem da tormenta, a cidade e os seus arredores sofrerão uma forte queda nas temperaturas, especialmente na sexta-feira.

As previsões indicam que a temperatura pode cair para até 16 graus negativos, mas a sensação térmica pode ser ainda pior devido às rajadas de vento polar que, segundo De Blasio, chegará a -28 graus.

"É preciso levar esta tormenta muito a sério", insistiu o prefeito.

O governador do estado, Andrew Cuomo, anunciou que foram tomadas medidas de emergência para fazer frente ao temporal e à brusca queda das temperaturas.

Em princípio, não são esperadas interrupções no serviço do metrô suburbano da cidade de Nova York, nem nos trens de cercanias, incluindo a linha férrea de Long Island, a região que será mais atingida pela nevasca.  /EFE

Encontrou algum erro? Entre em contato

publicidade

publicidade

publicidade

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.