Informação para você ler, ouvir, assistir, dialogar e compartilhar!
Tenha acesso ilimitado
por R$0,30/dia!
(no plano anual de R$ 99,90)
R$ 0,30/DIA ASSINAR
No plano anual de R$ 99,90

Autoridades investigarão vazamento no caso da tia de Obama

Zeituni Onyango, tia do candidato democrata, vive de forma ilegal nos EUA há quatro anos

Efe

02 de novembro de 2008 | 21h29

As autoridades federais dos Estados Unidos começaram uma pesquisa para determinar se foi violada alguma lei ao no vazamento de informações sobre o status migratório de uma tia do candidato democrata à Presidência Barack Obama, informa neste domingo, 2, a imprensa local na Internet.   Veja também: Obama diz que não sabia que tia está ilegal nos EUA Enquete: Você votaria em McCain ou Obama?  Confira os números das pesquisas nos Estados  Obama x McCain  Entenda o processo eleitoral   Cobertura completa das eleições nos EUA   Zeituni Onyango, uma tia de Obama do Quênia, vive de forma ilegal nos EUA há quatro anos e um juiz lhe ordenou que deixasse o país após negar-lhe o pedido de asilo, uma informação que foi divulgada no final da sexta-feira, 31.   A direção da campanha de Obama disse no sábado, 1, que o senador desconhecia o status migratório de Zeituni e defendeu que sejam aplicadas as leis pertinentes em seu caso.   "Estão tentando ver se houve uma violação ao revelar publicamente informação individual do caso", disse a porta-voz do Escritório de Imigração e Alfândegas (ICE, na sigla em inglês) em declarações publicadas pelo jornal The Washington Post em sua edição digital.   Zeituni, que mora em uma casa do estado no sul de Boston, no estado de Massachusetts, nordeste do país, é meio-irmã do pai de Obama, um economista de origem queniana já falecido.

Tudo o que sabemos sobre:
eleições nos EUAZeituni Onyango

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.