Michele Eve Sandberg / AFP
Michele Eve Sandberg / AFP

Furacão Dorian chega à costa das Bahamas com categoria 5

Tempestade está em nível máximo de risco, com ventos de até 260 km/h; trajetória de Dorian ainda é incerta e inclui costa leste dos Estados Unidos, da Flórida à Carolina do Norte;

Redação, O Estado de S.Paulo

01 de setembro de 2019 | 08h10
Atualizado 01 de setembro de 2019 | 22h17

O furacão Dorian chegou à costa das Bahamas neste domingo, 01,  por volta das 10h no horário local (11h no horário de Brasília), de acordo com o boletim do Centro Nacional de Furacões dos Estados Unidos (NHC, na sigla em inglês). Ainda não se sabe se a tempestade deve tocar o solo. Dorian foi reclassificado à intensidade 5 na manhã deste domingo, o que o leva ao nível máximo de perigo, de acordo com a escala Saffir-Simpson. 

Milhares de pessoas foram evacuadas das ilhas Grand Bahama e Abaco, no noroeste do arquipélago. No final do sábado, o Centro Nacional de Furacões (NHC, na sigla em inglês) notificou que Dorian estava com ventos máximos de 260 km/h, a cerca de 245 km a leste de Abaco. Em Freeport, casas e lojas foram fechadas e tiveram suas portas e janelas reforçadas com tábuas. 

 

O primeiro-ministro das Bahamas, Hubert Minnis, alertou os cidadãos na sexta-feira que enfrentarão um "furacão poderoso e com risco de vida". Minnis disse em entrevista coletiva que a tempestade era potencialmente fatal. "Aqueles que se recusam a evacuar estão em grande perigo, não coloquem sua vida e a de seus entes queridos em risco desnecessário", pediu. De acordo com o primeiro-ministro, 73 mil pessoas e 21 mil casas estão sob perigo, e as ondas no litoral das Bahamas podem chegar a 4,6 metros. “Quero que vocês se lembrem: casas e estruturas podem ser substituídas. A vida não pode ser substituída ”, afirmou. 

Segundo a a Agência Nacional de Gerenciamento de Emergências das Bahamas em comunicado, os danos de Dorian podem ser piores do que o previsto pois a tempestade está perdendo velocidade, podendo demorar mais para deixar o país. "Estamos pedindo aos residentes nessas áreas que deixem o litoral", disse Jeffrey Simmons, vice-diretor do departamento de meteorologia das Bahamas. 

"Nos últimos dias, pedimos a todos os turistas que deixassem a ilha em antecipação ao furacão", disse Kwasi Thompson, ministro de Estado de Grand Bahama. Mas depois de dias de evacuação, apenas 26 turistas permanecem no local.


 

Chegada do furacão Dorian aos Estados Unidos

Após atingir as Bahamas, Dorian deve seguir em direção à costa sudeste dos Estados Unidos, passando pela Georgia, Carolina do Sul e Carolina do Norte. Segundo o Centro Nacional de Furacões (NHC, na sigla em inglês) Dorian está se aproximando da Florida na noite de segunda, 02, mas houve uma mudança de trajetória em direção às Carolinas e é difícil mensurar a intensidade que Dorian passará pela Flórida. "A nova rota prevista não impede Dorian de tocar a costa da Flórida, pois grandes porções da costa permanecem no cone da incerteza", afirmou o boletim emitido na noite de sábado.

Os moradores da Flórida não têm ordens de evacuação, mas recebem comida, água e outros suprimentos, preparando-se para fugir de suas casas. O governador do Estado, Ron DeSantis, também pediu aos moradores na sexta-feira que se preparem para um "evento de vários dias". "Estamos prevendo muitas inundações", disse DeSantis. "Pedimos a todos os habitantes da Flórida que tenham sete dias de comida, remédios e água". A Guarda Nacional da Flórida disse que cerca de 2 mil membros do serviço haviam se mobilizado até agora e outros 2 mil serão enviados neste sábado.

O Aeroporto Internacional de Orlando, principal ponto de acesso à Disney World, comunicou que interromperia suas atividades às 02h na segunda-feira "por precaução". O presidente Donald Trump afirmou que Dorian "parecia ser um monstro absoluto". Trump cancelou uma viagem à Polônia para se concentrar nos preparativos para a tempestade. "Está se movendo e é muito difícil de prever", disse Trump em um tweet neste sábado, 31. "É um dos maiores e mais fortes (e realmente amplos) que já vimos em décadas. Tome cuidado!", Escreveu ele. Trump declarou estado de emergência na Flórida autorizando assistência federal para complementar os esforços estaduais e locais.

A Geórgia, outro Estado do sudeste que pode estar no caminho da tempestade, declarou estado de emergência para 12 municípios. O governador Brian Kemp disse que o furacão "tem potencial para produzir impactos catastróficos sobre os cidadãos" em toda a região costeira do sudeste dos Estados Unidos.

A Guarda Costeira dos EUA disse que embarcações comerciais navegando pelo oceano devem fazer planos para deixar o porto do sul da Flórida. Várias escolas anunciaram que as aulas seriam canceladas pelo menos até terça-feira. A tempestade tropical está prevista para acabar na Carolina do Norte na manhã da próxima sexta-feira, 05.  /AFP e Reuters

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.