Barack Obama: um presidente como meu pai

Caroline Kennedy, filha de John F. Kennedy, mostra as razões pelas quais escolheu Obama como candidato

Por Caroline Kennedy, The New York Times,

28 de janeiro de 2008 | 16h27

Durante anos fiquei profundamente emocionada com as pessoas que me diziam que gostariam de se sentir inspiradas e otimistas com relação aos EUA como na época em que pai era presidente. Hoje, esse sentimento é ainda mais profundo. E é por essa razão que apóio o candidato presidencial nas primárias democratas, Barack Obama.   Veja também: Irmão de John Kennedy declara apoio a Obama Cobertura completa das eleições nos EUA Especial eleições americanas Pesquisa indica empate na Flórida Obama sai fortalecido da Carolina do Sul   Minhas razões são patrióticas, políticas e pessoais, e as três estão entrelaçadas. Durante toda a minha vida as pessoas me diziam que meu pai mudou as suas vidas e que elas se envolveram na atividade pública ou na política porque ele lhes pediu. E essa geração inspirada passou esse espírito para seus filhos. Encontrei-me com jovens que nasceram muito tempo depois que John F. Kennedy foi presidente e no entanto eles me perguntam como conservar os seus ideais.   Algumas vezes é preciso algum tempo para reconhecer que alguém tem uma capacidade especial para fazer com que acreditemos em nós mesmos, vincular essa crença aos nossos mais altos ideais e imaginar que, juntos, podemos fazer grandes coisas. Nesses raros momentos, quando surge essa pessoa, precisamos deixar de lado nossos planos e tentar alcançar o que sabemos que é possível.   E nós temos essa oportunidade agora com o senador Barack Obama. O que não significa que os outros candidatos não tenham experiência ou conhecimento. Este ano, porém, isso pode não bastar. Precisamos mudar a liderança deste país, da mesma maneira como o fizemos em 1960.   Muitos de nós prefeririam basear sua decisão de voto nas diferenças políticas. No entanto, as metas dos candidatos são similares. Todos eles expuseram planos detalhados sobre todos os assuntos, desde o fortalecimento da nossa classe média até os investimentos na educação infantil. Desta forma, as qualidades de liderança, caráter e julgamento têm um papel mais amplo do que o habitual.   O senador Obama demonstrou essas qualidades ao longo de suas mais de duas décadas de serviço público, não só no Senado dos Estados Unidos mas também em Illinois, onde ajudou comunidades em disputa a mudarem completamente, lecionou direito constitucional e tornou-se uma autoridade estatal eleita, por oito anos. E Obama mostra essas mesmas qualidades hoje. Criou um movimento que está mudando a face da política neste país e demonstrou um talento especial para inspirar os jovens - conhecidos por sua disposição ao serviço voluntário mas uma aversão à política - a se engajarem no processo político.   Passei os últimos cinco anos trabalhando em escolas públicas da cidade de Nova York e tenho três filhos adolescentes. Existe uma geração chegando à idade adulta que é otimista, trabalhadora, inovadora e imaginativa. Mas muitas pessoas também estão desesperadas, frustradas e desmotivadas. Como pais, temos a responsabilidade de ajudar nossos filhos a acreditarem em si próprios e no seu poder de determinar o próprio futuro. Obama está incutindo em meus filhos, os netos dos meus pais, esse sentimento de possibilidade.   O senador Obama vem realizando uma campanha digna e honesta. Foi eloqüente ao falar do papel da fé na sua vida e expôs o seu caráter em dois livros convincentes. E, em termos de julgamento, mostrou uma atitude correta sobre o mais importante tema do nosso tempo, opondo-se à guerra no Iraque desde o início.   Quero um presidente que compreenda que a sua responsabilidade é expressar uma visão e encorajar os outros a alcançá-la; que se mantém, e aqueles em torno dele, dentro dos mais altos padrões éticos; que apele para as esperanças dos que ainda acreditam no Sonho Americano e àqueles em todo o mundo que ainda acreditam no ideal americano; e que pode elevar nossos espíritos e fazer com que acreditemos novamente que o nosso país precisa que cada um de nós se comprometa com ele.   Jamais tive um presidente que me inspirasse da maneira que as pessoas dizem que meu pai as inspirou. Mas, pela primeira vez, acredito que encontrei o homem que pode ser esse presidente - não apenas para mim, mas para uma nova geração de americanos.   Caroline Kennedy é autora do livro "A Patriot´ s Handbook: songs, poems, stories and speeches celebrating the land we love" (Manual de um patriota: canções, poemas, histórias e discursos celebrando a terra que nós amamos)

Tudo o que sabemos sobre:
eleições nos EUA, Barack Obama

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.