Biden intensifica ataques e diz que McCain é 'seqüência' de Bush

Vice democrata diz que republicano aposta em políticas de ex-funcionário do governo do presidente americano

The New York Times,

15 de setembro de 2008 | 19h50

O senador Joseph R. Biden Jr. intensificou nesta segunda-feira, 15, seus ataques ao candidato republicano à Presidência americana, John McCain, acusando seu colega de longa data de não entender de economia e dizendo que ele "devia ser chamado de Bush 44" (referindo-se ao fato de Bush ser o 43.º presidente americano). Ele disse que o republicano "apostou sua casa em políticas aperfeiçoadas por Karl Rove (ex-vice-chefe da Casa Civil durante o governo Bush).   Veja também: Na internet, Obama vence McCain com folga Obama x McCain Entenda o processo eleitoral   Cobertura completa das eleições nos EUA    Após ser ofuscado durante duas semanas pela vice-candidata republicana, Sarah Palin, o vice do democrata Barack Obama partiu duramente para o ataque. "Nós já vimos esse filme antes, pessoal", declarou Biden a cerca de mil pessoas em um ginásio de uma escola americana, relacionando as políticas de McCain com as do presidente George W. Bush. "Mas, como todos sabem, a seqüência é sempre pior que o original."   O democrata focou a maior parte de seu discurso no candidato republicano, com quem trabalhou no Senado em 1986, e mencionou o nome de Sarah Palin apenas duas vezes. Ele revelou que em 2000, quando McCain sofria pesados ataques pessoais relacionados à campanha de Bush, ligou para o republicano e ofereceu ajuda.   Biden disse que perguntou: "John, aonde você me quer? Vou para qualquer lugar. Aparecerei em público e irei atestar seu caráter". "O jeito que uma pessoa faz uma campanha diz tudo sobre a forma que ela governará", continuou.   "A campanha de McCain-Palin decidiu apostar a casa em políticas aperfeiçoadas por Karl Rove. Aquelas táticas podem ser boas se você procura ter êxito em uma eleição, mas podem ser ruins se você quer liderar uma nação indivisível", afirmou o senador.   O pronunciamento do vice democrata foi amplamente promovido pela campanha de Obama (seu porta-voz, David Wade, o chamou de "discurso Bush 44"). Foi o primeiro de dois discursos que Biden deve fazer nesta segunda nos subúrbios de Detroit, casa de muitos chamados "democratas de Reagan" ou eleitores indecisos, fatia que foi particularmente disputada nas últimas décadas.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.