Bill Clinton fará campanha para Barack Obama

Ex-presidente deve participar de comícios políticos na Flórida no próximo dia 29 de setembro

Efe,

11 de setembro de 2008 | 02h58

O ex-presidente Bill Clinton fará campanha pelo candidato presidencial democrata no que resta da disputa eleitoral. A informação foi confirmada pelo próprio Obama em um programa noturno da rede CBS, no qual disse que "não há ninguém mais agudo na política" que o ex-líder democrata (1993-2001).   Veja também: Obama x McCain Entenda o processo eleitoral   Cobertura completa das eleições nos EUA    Em um trecho antecipado para a imprensa, Obama disse que Clinton se somará a sua campanha "nas próximas oito semanas". Está previsto que ambos almocem juntos na quinta-feira no escritório de Clinton em Nova York.   Obama se deslocou para Nova York para participar, junto com seu rival republicano, John McCain, dos atos comemorativos pelo sétimo aniversário dos atentados contra as Torres Gêmeas e o Pentágono.   Matt McKenna, porta-voz de Clinton, disse aos jornalistas que o ex-presidente participará de comícios políticos a favor de Obama na Flórida no próximo dia 29 de setembro.   Desta forma Clinton se unirá à equipe de simpatizantes de Obama que se desdobraram por todo o país para espalhar a mensagem de "mudança" do candidato democrata.   A senadora Hillary Clinton já participou de vários atos políticos do que fora seu rival nas primárias.   Durante o processo de primárias, Clinton foi um dos mais acérrimos críticos de Obama, afirmando que sua esposa, e não ele, tinha a capacidade de liderar os Estados Unidos frente aos desafios dentro e fora do país.   Clinton e Obama mantiveram distância durante quase um mês após finalizadas as primárias, mas procuraram acercar posições quando o ex-presidente lhe estendeu a mão em sinal de apoio a sua campanha.   O senador por Illinois em algumas ocasiões se comparou com Clinton, ao lembrar que ambos enfrentaram a máquina republicana no meio de grande incerteza econômica nos Estados Unidos.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.