Bush alerta para ataques terroristas durante transição

Terrorismo e desafios econômicos 'não deixaram de existir' durante transferência de poder para Obama, diz

Agências internacionais,

06 de novembro de 2008 | 17h11

O presidente americano George W. Bush alertou nesta quinta-feira, 6, para a possibilidade de ataques terroristas nos Estados Unidos durante a transição de governo para Barack Obama. "Estamos em uma luta contra extremistas violentos que podem nos atacar durante a transição, para prejudicar o povo americano", declarou Bush em um discurso na Casa Branca.   Foto: Efe   Veja também: Rahm Emanuel aceita ser chefe de gabinete de Obama Nomes cotados para o gabinete de Obama Família Obama se adapta à nova vida Especial: Festa por mudança  Veja discurso de Obama no Youtube (Parte 1)  Veja discurso de Obama no Youtube (Parte 2)  Veja o perfil do novo presidente Trajetória de Obama  Guterman: Obama é o resgate do 'espírito americano'  Blog: Brasileiros nos EUA Estadao.com.br na terra dos Obamas Diário de bordo da viagem ao Quênia  Veja a apuração das eleições Entenda o processo eleitoral   Cobertura completa das eleições nos EUA   Bush mencionou a ameaça de terrorismo e os "desafios econômicos que não deixarão de existir para o novo presidente" entre as razões principais pelas quais é necessário "assegurar que esta transição ocorra com a maior tranqüilidade possível", colocada pelo presidente americano "como uma prioridade" para o resto de seu mandato.   Nos 75 dias que faltam até que Obama jure o cargo, "devemos garantir que a nova administração pode entrar em movimento imediatamente", afirmou. Bush se reunirá com o presidente eleito na próxima semana para discutir as principais questões pendentes, entre elas a grave crise financeira e a cúpula das principais economias que será realizada no dia 15 de novembro em Washington.   "Encaramos desafios econômicos que não serão interrompidos para deixar que o novo presidente se assente no cargo", declarou Bush. Também falarão da segurança nacional, da ameaça terrorista e das guerras iniciadas no Iraque e no Afeganistão, assim como os tratados de livre-comércio pendentes de aprovação com Colômbia, Panamá e Peru.   "O governo está preparado para cumprir suas responsabilidades o tempo todo" e que não haja um vácuo de funções durante o processo de transição, declarou o presidente. A equipe de transição de Obama informou que o presidente eleito visitará a Casa Branca na próxima segunda.

Tudo o que sabemos sobre:
Barack Obamaeleições nos EUA

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.