Bush declara estado de emergência para a posse de Obama

Medida é precaução para garantir verba adicional para a cidade, que deve receber até 2 milhões de pessoas

Agências internacionais,

14 de janeiro de 2009 | 08h52

O presidente americano, George W. Bush, declarou estado de emergência em Washington D. C. por conta da posse de Barack Obama. A medida, usada normalmente depois de furacões, enchentes e outros desastres natural, pode ser decretada em antecipação a grandes eventos, segundo aponta o blog do jornal americano The New York Times. A declaração de emergência tem a intenção de garantir verba federal adicional para ajudar o Distrito de Columbia a lidar com o grande público esperado para a cerimônia da próxima terça-feira, dia 20 de janeiro, quando o primeiro presidente negro da história americana tomará posse. Entre 1,5 milhão e 2 milhões são esperados na cidade, que teme não ter infraestrutura para receber a multidão. Segundo o site, o governo já liberou US$ 15 milhões para ajudar a cidade a custear a segurança e equipe médica. Porém, segundo afirmou o prefeito do Distrito, Adrian M. Fenty, a preocupação é com a capacidade da cidade, particularmente com os serviços médicos.

Tudo o que sabemos sobre:
Posse de ObamaBarack Obama

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.