Informação para você ler, ouvir, assistir, dialogar e compartilhar!
Tenha acesso ilimitado
por R$0,30/dia!
(no plano anual de R$ 99,90)
R$ 0,30/DIA ASSINAR
No plano anual de R$ 99,90

Bush promete facilitar transição de governo para Obama

Presidente americano afirma que essa será uma de suas últimas prioridades antes de deixar o cargo

Efe,

08 de novembro de 2008 | 14h19

O presidente dos Estados Unidos, George W. Bush, se comprometeu neste sábado, 8, a facilitar uma transição de governo efetiva e a manter informado seu sucessor, o democrata Barack Obama, até que este assuma o cargo, em 20 de janeiro. Uma transição com sucesso será uma prioridade na última etapa da Administração Bush, disse o presidente em seu discurso de rádio semanal.   Veja também: Contra crise, Obama pede fim das diferenças  Ilegal no país, tia de Obama lutará para ficar nos EUA Obama não anuncia gabinete 'para evitar erros'  Imprensa diz que legado de Bush será incompetência Além da "obamamania"  Nomes cotados para o gabinete de Obama Quem são os eleitores de Obama   Veja o perfil do novo presidente Trajetória de Obama  Veja a apuração das eleições Cobertura completa das eleições nos EUA   Bush destacou que a nação se encontra em uma situação delicada no que se refere à economia e que o novo presidente também terá que assumir que os Estados Unidos é um "país em guerra". Ele indicou que sua Administração "trabalhará arduamente para garantir a transição ao próximo presidente e que sua equipe esteja preparada para trabalhar desde o início com sucesso".   "Quando liguei para o presidente eleito (Barack) Obama para felicitá-lo por sua vitória histórica, disse que pode contar com minha total cooperação em sua transição à Casa Branca", disse Bush. "Garantir que esta transição seja perfeita é uma prioridade durante o tempo que me resta no cargo", acrescentou.   Ele ressaltou que o país "enfrenta desafios econômicos que não permitem fazer uma pausa", e lembrou que esta será também a primeira transição que acontece em tempos de guerra há quatro décadas. "Estamos em luta contra os extremistas violentos que estão decididos a nos atacar e nada mais agradaria a eles do que aproveitar este período de mudança para atacar o povo americano", afirmou.   Bush afirmou que a Casa Branca e os organismos do governo federal estiveram se preparando para a transição há um ano e, nas próximas semanas, a equipe de Obama será informada sobre as principais questões da política americana, desde os mercados financeiros à Guerra do Iraque. "Vou manter o presidente eleito plenamente informado sobre as decisões importantes durante este momento crítico para nossa nação", afirmou.   Entre os assuntos importantes, citou o aumento do desemprego, depois que o Departamento de Trabalho americano revelou esta semana que neste ano foram eliminados 1,2 milhão de postos de trabalho. Ele acrescentou que Washington será a sede de uma "histórica cúpula internacional" em 15 de novembro, quando será realizada a reunião do Grupo dos Vinte (G20) para revisar o sistema financeiro internacional.   Bush também fez referência a outras tarefas que ficarão pendentes para a nova Administração, e pediu ao Congresso para aprovar os Tratados de Livre-Comércio (TLC) com Colômbia, Panamá e Coréia do Sul. O presidente americano desejou o "maior dos sucessos" a Obama à frente do país, e, no lado pessoal, que desfrute com sua família de seus anos de estadia na Casa Branca. "Laura e eu desejamos à família Obama que desfrute e tenha tanta alegria e felicidade quanto a nossa família encontrou nesta maravilhosa casa", afirmou.

Tudo o que sabemos sobre:
eleições nos EUABarack Obama

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.