Campanha de Obama arrecada US$ 52 milhões em junho

Valor anunciado é mais do que o dobro dos US$ 22 mi confirmados por John McCain no mesmo período

Reuters e Associated Press,

17 de julho de 2008 | 10h25

O senador democrata Barack Obama arrecadou mais de US$ 52 milhões em junho, segundo maior valor registrado durante sua campanha e mais do que o dobro do que o anunciado pelo rival republicano, John McCain, no mesmo período - US$ 22 milhões, marca recorde para o partido.   Veja também: Obama lidera corrida eleitoral, diz pesquisa Obama x McCain  Conheça a trajetória dos candidatos Cobertura completa das eleições nos EUA    O candidato e Comitê Nacional Democrata terminaram o mês de junho com mais de US$ 92 milhões em suas contas bancárias para o financiamento da campanha presidencial. O senador de Obama afirmou que sua campanha já possui US$ 72 milhões, e o partido confirmou US$ 20,3 mi em suas contas, valor ainda atrás dos rivais republicanos.   McCain afirmou anteriormente que sua campanha arrecadou mais de US$ 22 milhões em junho, o maior valor levantado em doações neste ano. O candidato e o Comitê do Partido Republicano, juntos, possuem cerca de US$ 95 mi para a campanha presidencial.   Os US$ 52 mi foram a segunda melhor soma já anunciada pela campanha neste ano - em fevereiro, ele arrecadou US$ 55 milhões em doações. A quantia de junho foi superior aos US$ 21,9 mi anunciados em maio.   Em um e-mail para seus colaboradores, o diretor da campanha de Obama, David Plouffe, afirmou que o valor foi alcançado com doações médias de US$ 68 (cerca de R$ 108). "Mas o mais impressionante é como vocês fizeram isso", escreveu ele. "Centenas de milhares de pessoas comuns contribuíram para construir nossa campanha por mudança. Muitos doavam pela primeira vez, dando só o que podiam - e a doação média foi de apenas US$ 68."   Alguns analistas políticos questionaram a habilidade do senador em arrecadar fundos para a campanha desde as últimas reduções nos valores apresentados. Na última semana, um de seus colaboradores criticou a reportagem do Wall Street Journal que afirmava que a campanha democrata teria arrecadado cerca de US$ 30 mi em junho. O candidato ainda recusou os US$ 84 mi (cerca de R$ 134 mi) disponibilizados pelo financiamento público de campanhas.   Quando Obama anunciou no mês passado que iria rejeitar o financiamento público - ao contrário do que dissera anteriormente -, o democrata justificou sua posição por causa da vantagem financeira dos republicanos. Além disso, outro motivo alegado foi a falta de controle sobre organizações que realizam campanhas de "ataques e boatos" - grupos conhecidos como 527. Na campanha de 2004, uma das organizações desse tipo atacou ferozmente o democrata John Kerry na campanha de 2004. Um anúncio questionava o período passado por Kerry no Vietnã.   Matéria atualizada às 12h35.

Tudo o que sabemos sobre:
eleições nos EUABarack Obama

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.