Campanha de Obama avança em Estados republicanos

Objetivo do democrata é atrair eleitores jovens e afro-americanos, que muitas vezes permanecem indecisos

Associated Press,

03 de agosto de 2008 | 15h48

O candidato democrata à Presidência americana, Barack Obama, está investindo dinheiro e enviando pessoal de sua campanha para Estados tradicionalmente republicanos, para fazer frente a seu rival John McCain. Durante duas décadas, muitos desses Estados votavam exclusivamente nos candidatos do Partido Republicano, mas agora, devido às mudanças demográficas e políticas, regiões como Alasca, Virgínia e Geórgia aparecem como novos campos de batalha.   Veja também: Na venda de souvenirs, Obama sai na frente de McCain Pesquisas mostram Obama e McCain empatados Obama x McCain  Conheça a trajetória dos candidatos Cobertura completa das eleições nos EUA    A Geórgia, a Carolina do Norte e a Virgínia estão experimentando um aumento de população e muitos eleitores negros se inclinam para Obama, que pode se tornar o primeiro presidente negro dos EUA. Em Montana, há cada vez mais eleitores democratas, e Dakota do Norte escolhe congressistas deste partido desde 1986. Indiana é vizinha do Estado que representa o senador democrata.   "Teremos habilidade financeira e organizadores para competir", declarou David Plouffe, chefe de campanha de Obama. Steve Schmidt, estrategista de McCain, replicou: "Acreditamos firmemente que manteremos estes Estados". Ele também mostrou otimismo na possibilidade de McCain ganhar Estados tradicionalmente democratas, que agora também estão mudando.   Nos sete históricos bastiões republicanos, Obama lançou anúncios televisivos durante cinco semanas, e enviou dezenas de voluntários para incentivar o registro de eleitores que podem se inclinar para os democratas se cortejados de maneira adequada.   O objetivo é atrair eleitores jovens e afro-americanos, que marjoritariamente preferem Obama, mas muitas vezes mantém-se indecisos. Do outro lado, McCain não faz esforços nesses Estados, confiando que os eleitores seguirão a seu lado.   Os republicanos - e até alguns democratas - céticos acreditam que Obama quer forçar McCain a gastar mais dinheiro em território tradicionalmente republicano, para assim deixar de ser competitivo em outras regiões.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.