Campanha de Obama invade cenário de games

Candidato democrata à Presidência inova e anuncia em 18 jogos eletrônicos para atrair voto dos jovens

Associated Press,

16 de outubro de 2008 | 10h55

O democrata Barack Obama começou a utilizar uma mídia inovadora para a propaganda de campanha: está fazendo anúncios em videogames. Com o objetivo de atrair o voto de eleitores mais jovens, o senador divulga suas mensagens em 18 jogos eletrônicos e torna-se o primeiro candidato à Casa Branca a usar esse tipo de anúncio.   Veja também:  Confira os números das pesquisas nos Estados  Obama x McCain  Entenda o processo eleitoral   Cobertura completa das eleições nos EUA   "Assim como a televisão, o rádio e a imprensa escrita, também estamos aceitando anúncio de candidatos", afirmou Holly Rockwood, porta-voz da Electronic Arts, empresa que fechou acordos para comerciais de Obama em nove de seus jogos. "Os anúncios chegam a um público que é difícil de alcançar - homens com idades entre 18 e 34 anos - e isso é bem atraente para os anunciantes." Holly, porém, não revelou o valor dos contratos com o democrata.   A tática de anunciar em jogos é recente e só é possível graças a novas tecnologias que ligam os videogames à internet. Assim, é possível atualizar os jogos com novos aplicativos e comerciais.   Alguns dos anúncios de Obama aparecem no jogo de corrida Burnout Paradise para o console Xbox 360. Nesse aplicativo, outdoors com fotos de Obama alertam os jogadores de que a votação antecipada já começou em alguns Estados e mostra um website para que os eleitores se registrem para votar.   O jogo foi lançado em janeiro, mas os anúncios foram inseridos neste mês e devem ser exibidos até 3 de novembro. A propaganda de Obama aparece ainda em jogos populares como Guitar Hero e Madden 09.   A equipe do democrata afirmou que os anúncios em jogos têm como alvo dez Estados que permitem a votação antecipada - como Ohio e Flórida, considerados fundamentais para a eleição.

Tudo o que sabemos sobre:
eleições nos EUABarack Obama

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.